Topo

Fórmula 1

Dirigente diz que Fórmula 1 estuda se manterá as grid girls para 2018

ANDREJ ISAKOVIC/AFP
Grid girls no GP da Áustria. Direção da categoria diz que analisará opiniões Imagem: ANDREJ ISAKOVIC/AFP

Do UOL, em São Paulo

14/12/2017 10h43

Os novos proprietários da Fórmula 1 analisam se as grid girls continuarão para a próxima temporada.

A Liberty Media, empresa norte-americana que detém os direitos da categoria, avalia duas questões: existe apelo para que as mulheres deixem de ser vistas como “ornamentos” na F-1, mas também há um público favorável à manutenção das tradições da categoria.

“O que nós precisamos fazer é ver os diversos pontos de vista e fazer a decisão correta para o futuro do esporte”, disse o CEO da Liberty na Fórmula 1, Chase Carey, para a BBC.

“Nós tentaremos respeitar a todos”.

Modelos são contratadas por equipes e organização dos GPs para participar do fim de semana de prova. As grid girls vestem uniformes das escuderias, participam de eventos promocionais dentro do circuito e dão suporte aos funcionários, como segurar guarda-chuva ou levantar placas de instrução antes da prova. 

A Liberty fez levantamentos sobre o perfil do público da Fórmula 1 e concluiu que precisa atrair o público jovem, que foi se perdendo gradativamente nas últimas décadas.

“As pessoas que são fãs desde o início, que gostam da categoria com a qual cresceram, representam a fundação do esporte e são essenciais. No entanto, nós queremos interessar a uma nova audiência, e, para isso, devemos encontrar soluções que respeitem o elemento histórico, o que tornou essa categoria tão especial – mas, ao mesmo tempo, temos que atrair novas pessoas. Precisamos de interessar a uma nova geração”, comentou Carey a “Auto Hebdo”.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!