Topo

Fórmula 1

Rivalidade com Ferrari faz Mercedes economizar em taxa de inscrição de 2018

Reuters
Largada em Sepang Imagem: Reuters

Julianne Cerasoli

Do UOL, em São Paulo

31/01/2018 04h00

A Mercedes tem pelo menos um motivo para celebrar a rivalidade travada com a Ferrari na última temporada, algo que deve se repetir neste ano no campeonato que começa dia 25 de março, no GP da Austrália: com os italianos dividindo pontos e vitórias, a equipe alemã viu uma redução de mais de US$ 600 mil  (cerca de R$ 1,9 milhão) na taxa de inscrição que terá de pagar em 2018.

Isso porque a Fórmula 1 tem um sistema de inscrição, que deve ser paga à Federação Internacional de Automobilismo, com taxa fixa de US$ 516.128 (mais de 1,6 milhão de reais) mais US$ 6.194  (R$ 19.580) por ponto do campeão e US$ 5.161 (R$ 16.320) por ponto dos demais. Estes números foram definidos em 2013.

Como a Mercedes marcou 97 pontos a menos que em 2016, muito em função do crescimento da Ferrari, a taxa de inscrição de 2018 ficou em US$ 4.653.720 (R$ 14,7 milhões) e será a menor paga pelo time desde que iniciou seu domínio na categoria, justamente quando estes valores aumentaram, em 2014.

Além da Mercedes, outra equipe que viu sua taxa de inscrição diminuir significativamente foi a Red  Bull, que vai pagar US$ 516 mil dólares a menos que em 2017 (equivalente a R$ 1,6 milhão de reais).

Mas, no caso, da equipe anglo-austríaca, não é exatamente uma economia: por ter perdido a segunda posição no Mundial para a Ferrari em relação a 2016, o time de Max Verstappen e Daniel Ricciardo vai receber US$ 9 milhões a menos da verba que vem da comercialização dos direitos comerciais da F-1.

Por outro lado, cinco equipes vão ter que desembolsar mais pela taxa de 2018: além da Ferrari, Sauber, Haas, Renault e Force India.

O time de Maranello terá o maior aumento: pagará US$ 3.210.170 (mais de R$ 10 milhões de reais), US$ 639.964, ou pouco mais de R$ 2 milhões de reais, a mais do que ano passado.

Equipe que mais evoluiu em 2017, a Renault também viu uma diferença significativa em sua taxa de inscrição, mais de US$ 250 mil dólares mais alta que em 2016, resultado do salto de 8 pontos em 2016 para 57 na última temporada.

As temporadas ruins de McLaren e Williams também acabaram tendo efeito positivo em suas taxas pagas para 2018: ambas vão pagar cerca de US$ 250 mil dólares a menos que ano passado por terem somado menos pontos na última temporada. Para a ex-equipe de Felipe Massa, a economia é real, pois eles não perderam o quinto lugar no Mundial de Construtores. Já para a McLaren, há o lado ruim: por ter caído do sexto para o nono lugar em relação a 2016, o time receberá pelo menos US$ 15 milhões a menos.

Confira a taxa de inscrição do campeonato de 2018 para cada equipe (em dólares)
Mercedes - 4.653.720 
Ferrari - 3.210.170 
Red Bull - 2.415.376 
Force India - 1.481.235 
Williams - 944.491 
Renault - 810.305 
Toro Rosso - 789.661 
Haas - 758.695 
McLaren - 670.958 
Sauber - 541.933 
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!