Topo

Fórmula 1

Ex-diretor Bernie Ecclestone quer que Fórmula 1 adote carros elétricos

Facundo Arrizabalaga - 2.set.2013/EFE
Bernie Ecclestone, ex-chefão da Fórmula 1, acena para os fotógrafos em Londres, em 2013 Imagem: Facundo Arrizabalaga - 2.set.2013/EFE

Do UOL, em São Paulo

25/02/2018 15h50

O ex-diretor executivo da Fórmula 1, o britânico Bernie  Ecclestone, 87, afirmou que a modalidade precisa fazer uma mudança radical e adotar carros com funcionamento 100% elétrico em um futuro próximo. Ele disse ao jornal inglês “The Guardian”, no sábado (24), que a categoria deveria abraçar o novo tipo de tecnologia automobilística.

“Nós ainda temos o nome de Fórmula 1, ainda temos contrato com os nossos agentes, vamos fazer tipos de carros diferentes, vamos falar com os fabricantes e começar uma totalmente elétrica e nova Fórmula 1, uma Fórmula 1 para o futuro”, declarou.

Ecclestone, que foi um dos principais articuladores do sucesso da modalidade nas últimas décadas, ocupa o cargo honorário de presidente emérito desde que a categoria foi comprada pelos norte-americanos da Liberty Media. Embora não tenha mais poder de decisão sobre as decisões da F-1, ele, após ter ficado 40 anos à frente da competição, ainda detém alguma influência.

A Fórmula 1 colocará novas regras em vigor em 2021, trocando certas exigências sobre os carros, mas ainda não há qualquer previsão sobre o uso de veículos elétricos. Apesar disso, o ex-diretor acredita que é possível fazer a mudança nos carros. “Nós não podemos fazer”, questionou. “Seria como uma super Fórmula E [modalidade totalmente elétrica], se quiserem.”

“Você pode fazer carros [elétricos] de Fórmula 1, e a única coisa que você perderia seria o barulho, e não acho que o público se importaria em não ter mais o velho ruído dos veículos. Eles [da Liberty Media] precisariam ter a disposição para fazer a mudança hoje. Mas eu acho que não terão”, complementou.

Ferrari

O ex-diretor também comentou as ameaças da Ferrari em deixar a F-1. Ele afirmou que o comandante da escuderia, Sergio Marchionne, não gostou das alterações previstas para 2021 e que o cartola italiano não falou em vão sobre deixar a categoria.

“A Fórmula 1 é a Ferrari e a Ferrari é a Fórmula 1”, disse Ecclestone. “Eu odiaria ver a F-1 sem a Ferrari. [Mas] o Sergio não fala certas coisas a menos que esteja falando sério. Eu não acho que ele seja o tipo de pessoas que não faz aquilo que diz que irá fazer”, concluiu.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!