Topo

Fórmula 1

Espanhola é criticada por dizer que físico impede ascensão feminina na F1

Divulgação/Lotus F1
Carmen Jordá anunciada piloto de testes da Lotus Imagem: Divulgação/Lotus F1

Do UOL, em São Paulo

06/03/2018 16h51

As declarações da piloto Carmen Jordá não caíram bem no meio do automobilismo. Na última segunda-feira (5), ela disse acreditar que a exigência física que a Fórmula 1 impõe a seus competidores é o principal obstáculo para que a categoria não tenha representantes mulheres no grid.

“Não cabe a mim decidir o que é bom ou não para as mulheres no esporte. Mas, com a minha experiência, posso dizer que existe uma barreira por uma questão física na Fórmula 1 e Fórmula 2, ao contrário de outros campeonatos, como kart, Fórmula 3 e GT, em que creio que as mulheres sejam capazes de conquistar bons resultados. Vejo isso como um grande problema para as mulheres, por isso que não há nenhuma nestes campeonatos”, afirmou a espanhola ao site ESPN F1.

A declaração de Carmen foi rebatida por Leeda Gade, primeira engenheira campeã das 24 Horas de Le Mans, pela Audi. As duas fazem parte da comissão feminina da Federação Internacional do Automóvel (FIA).

“Você e eu somos ambas integrantes da Comissão de Mulheres da FIA, projetada para encorajar mulheres e meninas no esporte a motor, um ambiente altamente competitivo para todos os participantes. Seus comentários depreciaram a qualidade do grid da Fórmula E e sua competitividade”, escreveu no Twitter.

A piloto Pippa Mann também retrucou Carmen no Twitter. A inglesa disputou a Fórmula Indy até a temporada passada e acredita que as mulheres não conquistaram resultados tão expressivos por questões culturais, não físicas.

“Na minha opinião, de alguém que correu na Europa e agora corre nos Estados Unidos, a razão para que pilotos mulheres a razão de termos mais sucesso aqui é a diferença cultural de que somos tratadas e vistas como competidoras, pela vasta maioria, dentro e fora da pista”, escreveu.

A crítica a Carmen foi feita também pelo campeão mundial de Fórmula 1 Jenson Button. O ex-piloto da McLaren lembrou de Danica Patrick, primeira mulher a vencer na Fórmula Indy e a fazer pole position na Nascar.

“Carmen, você não está ajudando corredoras femininas com esse comentário. Pergunte a Danica Patrick sobre ser forte o suficiente para pilotar um carro de corrida! Ela poderia chutar meu traseiro na academia e ser tão forte quanto qualquer piloto de Fórmula 1 agora. Barreira física não é seu problema, Carmen”.