Topo

Fórmula 1

Duelo inédito e mais tradição: 5 motivos para não perder a F-1 em 2018

AFP PHOTO / Kazuhiro NOGI
Lewis Hamilton e Sebastian Vettel se cumprimentam Imagem: AFP PHOTO / Kazuhiro NOGI

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Melbourne (AUS)

22/03/2018 04h00

O que mais vai chamar a atenção quando os carros se alinharem para o GP da Austrália para o início da temporada de 2018 da Fórmula 1 será o halo, polêmica proteção de cockpit que mudou o visual dos carros. Mas o campeonato mais longo da história da categoria, com 21 corridas, começa com a expectativa de uma disputa mais apertada.

Confira 5 motivos para acompanhar a F-1 em 2018

Primeira batalha de tetras: Pela primeira vez nos quase de 70 anos de história, a Fórmula 1 vai ter dois tetracampeões na pista se enfrentando. A temporada de 2018 tem tudo para ser uma reedição da disputa do ano passado, entre Sebastian Vettel, da Ferrari, e Lewis Hamilton, da Mercedes. Eles são dois dos apenas cinco tetracampeões que a F-1 já teve, ao lado de Alain Prost, Juan Manuel Fangio e Michael Schumacher.

McLaren de volta aos pódios: Ou pelo menos é essa a expectativa do time, que sofreu muito nas últimas três temporadas com a falta de competitividade do motor Honda e, neste ano, contará com o Renault. Apesar dos testes não terem sido tão positivos, com o time enfrentando vários problemas, o chefe Eric Boullier garante que tudo foi solucionado e que o time traz já para o primeiro GP na Austrália uma série de novidades que vão melhorar o desempenho do carro.

Volta de provas tradicionais: Depois de expandir para locais de pouca tradição no automobilismo nos últimos anos, a Fórmula 1 terá o retorno de duas corridas tradicionais neste ano. Alemanha retorna depois de Hockenheim ficar um ano de fora e a França terá novamente um grande prêmio depois de 10 anos. E a pista será Paul Ricard, que não é usada desde 1990.

Expectativa de grid mais próximo: os testes da pré-temporada indicaram que a diferença entre as três equipes mais fortes é de cerca de 1s. Ainda é bastante coisa, mas a temporada passada terminou com uma diferença média de 1s5. Essa queda é algo natural no segundo ano de um mesmo conjunto de regras.

Jovens talentos despontando: a temporada de 2018 será importante para dois pilotos em especial no grid. Max Verstappen tem a chance de se solidificar como o líder da Red Bull, uma vez que seu companheiro Daniel Ricciardo pode estar de saída do time ao final do ano. E Esteban Ocon, da Force India, está sendo observado de perto pela Mercedes e pode acabar ficando com a vaga de Valtteri Bottas caso o finlandês não corresponda às expectativas.

Horários do GP da Austrália
Quinta-feira
Treino livre 1: 22h

Sexta-feira
Treino livre 2: 2h

Sábado
Treino livre 3: 0h
Classificação: 3h

Domingo
GP da Austrália: 2h10

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!