Topo

Fórmula 1

Lewis Hamilton lamenta treino e diz: "Será difícil bater a Ferrari"

AP Photo/Andy Wong
Lewis Hamilton lamentou o desempenho da Mercedes no treino de classificação deste sábado Imagem: AP Photo/Andy Wong

DO UOL, em São Paulo (SP)

14/04/2018 05h40

Lewis Hamilton saiu do treino de qualificação para o GP da China frustrado. Apenas o quarto no grid de largada para a corrida deste domingo, o atual campeão mundial de Fórmula 1 se mostrou pessimista para a disputa em Xangai e não encontrou uma explicação para justificar a desvantagem em relação à escuderia italiana, que dominou a primeira fila.

O piloto de número 44 vai largar na quarta posição com mais 0s5 de desvantagem em relação a Sebastian Vettel, que chega na China embalado por vitórias nas duas etapas da temporada. Incomodado, Hamilton crê que a Mercedes encontrará sérias dificuldades para superar a rival.

“Foram mais rápidos que nós. Será difícil de bater a Ferrari amanhã; eles têm um carro muito equilibrado e vêm de duas corridas muito fortes. Espero poder pressiona-los, mas são muito rápidos nas retas. A ver se poderemos compensar este déficit”, afirmou na zona mista do circuito de Xangai.

“Não sei por que estamos tão longe, não pudemos seguir o ritmo da Ferrari. Não estou contente. Terei que me reunir com os caras e ver o que poderemos fazer. Antes a gente se incumbia apenas de nós, mas agora temos uma Ferrari muito mais consistente”, acrescentou o britânico.

A Ferrari quebrou uma hegemonia longa da Mercedes neste sábado. Pela primeira vez desde 2012, um carro que não é da equipe alemã largará na primeira colocação. Hamilton, dono de cinco triunfos na China, venceu três das últimas quatro corridas na China, ambas pelo time comandado por Niki Lauda e Toto Wolff.

O britânico entra na terceira etapa do Mundial com a vice-liderança. Ao todo com 33 pontos depois de duas corridas, 17 atrás de Sebastian Vettel, Hamilton soma um segundo lugar (Austrália) e um terceiro (Bahrein). O pole position deste domingo, por outro lado, venceu os dois GPs ocorrido em 2018.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!