Topo

Fórmula 1

Atrás em circuitos "normais", Red Bull desponta como favorita para Mônaco

Aly Song/Reuters
Será que a Red Bull leva a segunda do ano em Mônaco? Imagem: Aly Song/Reuters

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Mônaco

23/05/2018 04h00

Lewis Hamilton saiu do GP da Espanha como o grande vencedor com 20s de vantagem para o rival mais próximo, que foi o próprio companheiro Valtteri Bottas, e ainda viu o rival na disputa pelo título, Sebastian Vettel, ter problemas com os pneus e ser só o quarto. Com isso, aumentou sua vantagem no mundial de quatro para 17 pontos. A Red Bull, com Max Verstappen, completou o pódio, mas isso teve muito a ver com o desempenho aquém do esperado da Ferrari, que abandonou com Kimi Raikkonen por problemas no motor.

O momento, em teoria, é da Mercedes e de Hamilton, mas o inglês sabe que tudo pode mudar rapidamente na prova deste final de semana, em Mônaco. Afinal, ele só ganhou duas vezes no Principado, em 2008 e 2016, e acredita que a Red Bull pode surpreender,

“Não ganhei vezes suficientes em Mônaco!”, lembrou o inglês ao UOL Esporte. “É uma corrida que eu quero muito ganhar, mas é sempre difícil, nunca se sabe como o clima vai estar e as Red Bull vão estar super rápidas, então certamente não será fácil.”

A sensação é a mesma na direção da Mercedes, com Toto Wolff admitindo estar “muito preocupado” com o ritmo de Verstappen e seu companheiro Daniel Ricciardo. Do lado da Red Bull, o holandês não esconde a confiança. “Acho que temos uma boa chance. Tomara que o carro funcione bem. Só temos de acertar bem o carro e tenho certeza de que teremos um bom fim de semana.”

Mas por que uma equipe que só venceu uma prova até aqui e está em terceira no campeonato preocupa tanto?

São dois os principais fatores: os carros da Red Bull vêm sofrendo especialmente nas classificações pelo fato do motor Renault não ser tão potente quanto o Mercedes ou o Ferrari, e isso acaba sendo determinante para seus resultados na corrida, mesmo que seu ritmo seja forte. Em Mônaco, circuito com menor média de velocidade do campeonato, essa desvantagem praticamente desaparece, e o bom desempenho aerodinâmico do carro fica evidenciado.

Outro motivo para a Mercedes temer Mônaco é a seleção de pneus. Desde o início da temporada, o time vem tendo dificuldades com asfaltos lisos e compostos mais macios, e o circuito de Mônaco tem um dos pisos menos abrasivos, o que fez a Pirelli optar pelos hipermacios, ultramacios e supermacios, ou seja, os três pneus mais macios de sua escala.

Ano passado, entretanto, a Red Bull não tinha um carro tão forte no início da temporada e foi a Ferrari que dominou em Mônaco. Agora, o time vem de uma corrida difícil na Espanha e busca se recuperar em um circuito completamente diferente, como destacou Vettel. “Não dá para comparar. Sabemos que teremos um bom carro lá, então veremos o que acontece.”

A natureza distinta do Principado também anima outras equipes do meio do pelotão, como a McLaren, uma vez que seu carro produz muito arrasto nas retas, sendo menos veloz que os rivais diretos. “Mônaco é uma daquelas pistas em que o grid tende a ficar mais nivelado, então é mais ou menos como jogar os dados e ver o que acontece”, definiu Fernando Alonso.

Em termos de clima, pelo menos, a expectativa é de tempo seco e temperatura amena, entre 18 e 24ºC, cenário bem melhor do que há duas semanas na Espanha, onde a corrida foi disputada com 15ºC.

Confira os horários do GP de Mônaco:

Quinta-feira
Treino livre 1 6h
Treino livre 2 10h

Sábado
Treino livre 3 7h
Classificação 10h

Domingo
Corrida 10h10

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!