Topo

Fórmula 1

Verstappen se irrita com críticas e ironiza: "Vou dar cabeçada em alguém"

Mark Thompson/Getty Images
Max Verstappen, piloto da Red Bull Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Montreal (CAN)

08/06/2018 18h22

Foram seis incidentes em seis corridas para Max Verstappen até agora na temporada. Alguns mais leves, como o toque com o retardatário Romain Grosjean durante o GP da Espanha, que não impediu um pódio. Outros, que acabaram com chances reais de vitória, como a batida com Vettel no GP da China e o acidente nos treinos livres, que o tiraram da classificação do GP de Mônaco. Estas duas corridas, inclusive, foram vencidas pelo seu companheiro Daniel Ricciardo.

Não é por acaso que o piloto da Red Bull chega bastante pressionado ao GP do Canadá, palco da sétima etapa do campeonato. Pelo menos até agora, tudo está correndo bem para o holandês, que liderou as duas sessões de treinos livres disputadas neste final de semana. Mas ele já deixou o recado claro: não adianta criticá-lo, ele não vai mudar seu estilo.

“Eu fico muito cansado com todos esses comentários sobre mim, que eu tenho que mudar minha abordagem. Eu nunca vou fazer isso, porque é o que me trouxe ao nível em que estou agora. Então não ouço esse tipo de comentário. É claro que o começo do ano não está sendo como eu esperava. Cometi alguns erros, especialmente em Mônaco e na China, mas não faz sentido ficar falando nisso. Estou confiante que as coisas vão mudar.”

Quando um jornalista insistiu no tema na coletiva de imprensa realizada no circuito Gilles Villeneuve, o holandês respondeu em tom de ironia. “Estou muito cansado desse tipo de pergunta. Da próxima vez vou dar uma cabeçada em alguém.”

Para o companheiro Ricciardo, a reação do holandês não passa de um ato de frustração normal.

“Eu entendo a reação dele. Como ele está sob os holofotes agora, qualquer errinho ganha proporções grandes e isso é frustrante às vezes. Mas no final das contas isso está fora do controle dele. Mas acho que ele tem a cabeça boa”, disse o australiano, ouvido pelo UOL Esporte em Montreal.

Ricciardo disse que até tentou ajudar Verstappen a esquecer os problemas com seu método, de ir para o bar. Mas não funcionou.

“Não acho que seja meu papel colocar a mão no ombro dele e falar que precisamos conversar. Mas se ele vier pedir ajuda, serei aberto e honesto. Nós temos uma relação muito boa fora da pista. Mesmo depois de Mônaco, conversamos bastante depois da corrida e também na segunda-feira. A maior parte do tempo eu estava tentando convencê-lo a tomar umas cervejas mas ele não quis!”

Mesmo que Verstappen tenha liderado os treinos livres, é esperado que as Mercedes apareçam fortes neste sábado, uma vez que Hamilton e Bottas ainda não usaram os pneus hipermacios, os mais rápidos do final de semana. A classificação começa às 15h pelo horário de Brasília.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!