Topo

Fórmula 1

Verstappen cumpre ordem, deixa pai em casa e quase dobra pontos em dois GPs

Charles Coates/Getty Images
Max Verstappen em ação no Grande Prêmio da França Imagem: Charles Coates/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Spielberg (AUT)

27/06/2018 04h00

A temporada de 2018 da Fórmula 1 começou com seis toques ou acidentes para Max Verstappen nas seis primeiras etapas. Porém, nas duas últimas corridas, no Canadá e na França, o holandês não só deixou os problemas de lado como conseguiu praticamente dobrar seu número de pontos, com dois pódios. Seu rendimento mudou da água para o vinho depois que o piloto de 20 anos resolveu acatar o pedido dos chefes da Red Bull e deixar sua família - especialmente o pai, Jos, ex-piloto - em casa.

Jos Verstappen sempre foi figura fundamental para a carreira de Max. Porém, era visto dentro da Red Bull como uma má influência para o filho, dificultando que o piloto reconhecesse seus erros e tentasse corrigi-los. Depois do acidente que Max sofreu ainda nos treinos livres do GP de Mônaco, que acabou tirando-o da classificação em uma prova na qual a Red Bull tinha o melhor carro e deveria fazer uma dobradinha tranquila, seu chefe Christian Horner pediu que Max passasse a vir sozinho para as corridas.

No Canadá, o piloto não teve ninguém a seu lado e foi terceiro colocado. Já no último fim de semana, na França, foi acompanhado apenas do empresário, Raymond Vermeulen. O holandês explicou que o plano é fazer um rodízio, algo pedido para a equipe para testar a reação de Verstappen.

"No Canadá, resolvemos testar deixá-lo sozinho, mas não há nenhuma mensagem especial por trás disso. Faz parte de seu desenvolvimento o fato de ele não precisar de alguém do seu lado em todas as provas. Jos voltará para a Áustria (próxima etapa), e eu também estarei lá. Em Silverstone Max estará sozinho, Jos estará na Hungria e, na Bélgica, estaremos juntos", revelou.

Verstappen disse ter gostado da experiência de ir sozinho para uma corrida. "Foi bom, eu tinha menos pessoas para conversar", reconheceu o piloto, ouvido pelo UOL Esporte na França. "Mas também estava focado antes. É claro que talvez eu tenha alguns minutos a mais para conversar com minha equipe ao invés de falar com outras pessoas, mas não faz diferença para mim. Foi sempre assim (tendo a família por perto) que venci corridas por toda a minha carreira. Tenho 20 anos, ninguém precisa segurar minha mão".

No GP francês, novamente sem o pai por perto, Verstappen foi o segundo colocado na prova. Somando as duas etapas, fez 33 pontos. Nas seis primeiras, marcara 35. Para ele, contudo, o motivo da virada é outro: "Parece que, sempre que aumentam a pressão em cima de mim, eu piloto melhor. Talvez devam fazer isso o tempo todo".

Com o pai Jos ao seu lado, Verstappen disputará o GP da Áustria já neste fim de semana.

Confira os horários do GP da Áustria

Sexta-feira
Treino livre 1: 6h
Treino livre 1: 10h

Sábado
Treino livre 1: 7h
Classificação: 10h

Domingo
Corrida: 10h10

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!