Topo

Fórmula 1

"Pendurado como uma vaca" em acidente, Hulkenberg evita culpar halo

Reprodução
Carro de Hulkenberg capotado durante GP de Abu Dhabi Imagem: Reprodução

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

27/11/2018 12h16

O GP que marcou o fim da temporada de 2018 da Fórmula 1 em Abu Dhabi teve um acidente impressionante logo na primeira volta. Nico Hulkenberg capotou duas vezes, e sua Renault ficou virada de cabeça para baixo junto à barreira de proteção.

Sem conseguir sair e sentindo que a traseira do carro pegava fogo, o alemão pediu ajuda à equipe via rádio. “Que diabos! Estou pendurado aqui igual uma vaca! Tirem-me desse fogo!”, disse o alemão. Os fiscais de pista logo controlaram o fogo, mas o piloto só saiu do carro depois que ele foi desvirado.

O fato de Hulkenberg ter ficado preso abriu a discussão se o halo não teria dificultado sua saída. Até porque posição do carro de Hulkenberg era bem parecida com a da McLaren de Fernando Alonso no GP da Austrália de 2016, quando a Fórmula 1 ainda não usava o halo. O espanhol, na ocasião, conseguiu sair rapidamente do carro, sem precisar de ajuda.

Perguntado pelo UOL Esporte se sentiu-se atrapalhado pelo halo, Hulkenberg disse não ter pensado nisso naquele momento. “Honestamente, no momento não sei se foi o halo em si ou se o espaço que ficou entre o cockpit e o muro era pequeno demais. Nem consegui pensar nisso, mas o fato é que a barreira estava à minha direita e não tinha como eu sair, então tive que esperar.”

Para o diretor de provas da F-1, Charlie Whiting, o halo na verdade ajudou Hulkenberg.

“Claramente, foi um daqueles acidentes em que o halo foi projetado para ajudar. Ele dá mais espaço para o piloto quando o carro está de ponta-cabeça. Isso era uma das coisas que queríamos nos certificar de que ainda seria possível”, salientou Whiting, que também aprovou a maneira como foi feito o resgate: virando o carro para que o piloto pudesse sair sozinho.

“Sabíamos que ele estava bem e que não deveria haver nenhuma preocupação. Então a rotina em circunstâncias como estar é colocar o carro de volta à posição normal, o que é claro que tem que ser feito com cuidado. Depois disso, ele conseguiu sair sozinho. Foi tudo muito controlado pelo que pude ver, e nosso delegado técnico ficou satisfeito com a maneira como tudo foi feito. Tudo funcionou como deveria.”

Desde que o halo foi introduzido, no início desta temporada, os pilotos diminuíram o tom das fortes críticas que vinham fazendo na tentativa de evitar que o dispositivo fosse colocado no carro. Desde então, houve alguns acidentes na F-2 e na F-1 em que o halo afastou a possibilidade da cabeça do piloto ser atingida, como no caso de Charles Leclerc no GP da Bélgica. A peça continua sendo desenvolvida para que seja eficaz em todo tipo de acidente, sem atrapalhar a extração dos pilotos.

O GP de Abu Dhabi foi vencido por Lewis Hamilton, que já havia se sagrado, por antecipação, o campeão da temporada. A Fórmula 1 agora volta em março, com o GP da Austrália.