Topo

Fórmula 1

Vettel admite queda de rendimento em 2018: "Não estive no meu melhor nível"

Lars Baron/Getty Images
Vettel errou muito na segunda metade da temporada e viu Hamilton acumular vitórias rumo ao título Imagem: Lars Baron/Getty Images

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/11/2018 12h16

Da briga pelo título com Lewis Hamilton aos muitos erros que comprometeram a temporada com a Ferrari na Fórmula 1. Sebastian Vettel sabe que o ano de 2018 deixou a desejar, muito pelo próprio desempenho. Nesta terça-feira (27), o alemão admitiu a queda de rendimento e fez uma autocrítica em entrevista concedida à emissora Sky Sports.

Leia mais

“Olhando para atrás, não estive no meu melhor nível. Posso ir melhor do que apresentei em algumas ocasiões neste ano”, admitiu Vettel, que chegou a liderar o Mundial de Pilotos e acabou ofuscado pelo crescimento apresentado por Lewis Hamilton na segunda parte da competição.

“Penso que preciso de um tempo para mim mesmo. Foi um ano difícil e exaustivo para mim. Não penso que tive qualquer problema com a minha mão se cometi um erro. Não acho que tenha que mudar coisas, mas certamente preciso ajustar outras e voltar ainda melhor”, acrescentou.

Sebastian Vettel e a Ferrari surgiram como favoritos até a parada de verão da Fórmula 1; o carro vermelho da escuderia italiana era classificado como o melhor no grid, e o alemão surgia como líder da temporada.

Erros consecutivos, tanto da equipe quanto do alemão, comprometeram este favoritismo e permitiram a Lewis Hamilton crescer com a Mercedes.

O britânico ganhou seis das últimas oito corridas da temporada e conquistou o pentacampeonato anteriormente almejado por Vettel, que, no entanto, vê a Ferrari fortalecida para o ano que vem.

“Perdemos nosso caminho na metade do ano. As coisas não vieram juntas obviamente, mas conseguimos novamente ser mais competitivos no fim do ano; acho que entendemos o que deu errado. Tiramos muitas lições, foi um ano muito duro em geral. Penso que a equipe é forte e tem muito potencial”, finalizou o alemão tetracampeão mundial de Fórmula 1.