Topo

Fórmula 1


Red Bull coloca futuro na F1 em xeque e mira nova categoria para 2021

Alemania. EFE/JAN WOITAS
Imagem: Alemania. EFE/JAN WOITAS

Do UOL, em São Paulo (SP)

26/12/2018 13h15

A Red Bull colocou em xeque o futuro na Fórmula 1. Em entrevista publicada nesta quarta-feira (26) pelo site Motorsport, Helmut Marko, consultor da escuderia, admitiu que a equipe pode deixar a categoria máxima do automobilismo, dependendo do novo acordo comercial e das regras que vão passar a valer a partir de 2021. O time já mira, inclusive, uma alternativa: 24 de Le Mans.

Marko afirmou que a Red Bull irá analisar com a Honda, nova fabricante de motores, as condições para se manter competitiva na Fórmula 1 sob as regras totais da Liberty Media, que quer promover um corte de custos na categoria mais importante do automobilismo mundial.

O atual acordo vale até 2020 e será respeitado pela equipe, segundo assegurou o próprio consultor.

"Temos acordo até 2020. Não vamos tomar qualquer decisão enquanto não tivermos um acordo sobre os motores e o Pacto de Concórdia; assim, a Red Bull não vai tomar uma decisão, e nem a Honda. Nós não vamos nos tornar dependentes novamente, como estivemos no passado ao implorar por promessas não cumpridas. Parar é a opção", declarou.

"Se a Fórmula 1 quiser ter um limite de custos, vamos ter que demitir pessoas. Não queremos isso. Poderíamos usar este custo em outras categorias", acrescentou o consultor da Red Bull. 

Com o futuro na Fórmula 1 em xeque, a Red Bull cogita concentrar toda a sua engenharia nas provas de endurance. Com o projetista Adrian Newey como peça-chave do projeto, a equipe ajudou a Aston Martin a desenvolver o Valkyrie, um hipercarro que Marko enxerga com bons olhos.
 
"Parar é opção, mas também podemos ir para outras séries de corrida. Com a Valquíria, Le Mans poderia ser uma opção com a regra dos hipercarros. Fomos em frente e é um sucesso. Os carros foram vendidos instantaneamente, e isso é um bom pilar para a Red Bull", disse Marko.