Topo

Fórmula 1


Cão de Lewis Hamilton trabalha como modelo. E ganha muito bem para isso

Roscoe, buldogue de Hamilton, fatura mais de R$ 2,6 mil por dia de trabalho - Reprodução/Instagram
Roscoe, buldogue de Hamilton, fatura mais de R$ 2,6 mil por dia de trabalho Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

30/01/2019 04h00

Se você recebesse US$ 700 por dia de trabalho (pouco mais de R$ 2.610) e trabalhasse sem folga durante os 30 dias de um mês, seu salário seria de R$ 78.302,70. Nada mal, certo?

Na ponta do lápis, este seria o salário de Roscoe, um dos cães de Lewis Hamilton. Desde 2018, o buldogue posa para fotos como modelo canino para uma agência. E, a cada dia de trabalho, fatura US$ 700.

"Roscoe agora faz parte de uma agência de modelos. Ele faz audições contra 10 ou 15 buldogues diferentes. Se precisam de um buldogue para (anunciar) um produto, ele recebe US$ 700 por dia. É ridículo e ele ainda recebe um tratamento. Ele ama", contou o piloto britânico da Mercedes na Fórmula 1, em declarações publicadas pela imprensa europeia em 2018.

Leia também:

E se o pagamento diário de Roscoe supera grande parte dos vencimentos da média brasileira, também não fica atrás dos números do Reino Unido: seu "salário" anual superaria 190 mil libras (quase R$ 935 mil em valores atuais), enquanto a média de pagamentos de um britânico em 2015 foi de 27,6 mil libras (R$ 135,7 mil). A conta é do jornal Metro.

Não que a vida de Roscoe ande exigindo dele um trabalho. O buldogue de Lewis Hamilton conta com credencial própria para circular no paddock da Fórmula 1, além de contar com dieta própria, acupuntura e viagens de jatinho com o pentacampeão. Dá para reclamar?