Topo

Fórmula 1


Como a Mercedes conseguiu igualar marca imbatível na F-1 desde 1992

Aly Song/Reuters
Vallteri Bottas e Lewis Hamilton, pilotos da Mercedes, no GP da China de F1 Imagem: Aly Song/Reuters

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

2019-04-19T04:00:00

19/04/2019 04h00

O início fortíssimo da Mercedes na temporada da Fórmula 1, com três dobradinhas nas três primeiras provas, é algo que não se vê na categoria há 27 anos. Embora outras equipes tenham dominado a categoria de lá para cá, nenhuma conseguiu converter isso em 100% de pontos desde a Williams de 1992, cujo carro é considerado um dos carros mais dominantes da história do esporte.

Curiosamente, a Mercedes atualmente não tem nem de perto o mesmo domínio daquela Williams, que chegou a dar uma volta no terceiro colocado na terceira prova de 1992. O segredo do time tem sido a boa execução durante as provas, tirando o máximo de seu equipamento, e a confiabilidade.

Na primeira etapa, na Austrália, eles tiveram vantagem na classificação e se mantiveram em primeiro e segundo na corrida, ainda que Lewis Hamilton tenha chegado somente 2s à frente do terceiro, Max Verstappen.

Já na corrida seguinte, a Ferrari vinha fazendo a dobradinha até Sebastian Vettel rodar em disputa com Hamilton e Charles Leclerc perder a liderança com problemas no motor. E, na China, no último final de semana, as Mercedes aproveitaram para escapar e economizar seus pneus enquanto as Ferrari discutiam ordens de equipe e perdiam tempo, além de não terem tido o ritmo esperado na pista de Xangai.

"Ainda que tenhamos feito três dobradinhas, acho que essa não é a realidade", avaliou o chefe da Mercedes, Toto Wolff. "A Ferrari está muito forte, e esperamos que a luta com eles continue. É claro que Melbourne foi uma grande surpresa depois dos testes. Depois, no Bahrein, não éramos rápidos o suficiente e a Ferrari deveria ter vencido em termos de performance pura. Na China, esperávamos que, com a vantagem de velocidade de reta, eles viriam para cima de nós com o DRS, mas eles não chegaram nem perto. Acredito que isso aconteceu devido à nossa performance superior na curva anterior à reta. Mas isso foi uma surpresa."

Thomas Peter/Reuters
Imagem: Thomas Peter/Reuters

Marca rara

A marca é impressionante se lembrarmos que a Fórmula 1 teve temporadas em que uma equipe dominou o campeonato em algumas oportunidades de 1992 para cá. Em 93, a própria Williams foi absoluta novamente, mas Ayrton Senna conseguiu duas vitórias, com a McLaren, no início daquela temporada, muito em função da chuva.

No restante da década de 1990, a categoria teria temporadas decididas entre pilotos de duas equipes nas últimas provas, e só voltaria a ter um campeonato em que um time dominou claramente em 2002, com a Ferrari. Mesmo assim, o time italiano não começou tão bem, com Rubens Barrichello abandonando as três primeiras provas, e Michael Schumacher não ganhou as três primeiras.

O mais perto que um time chegou de três dobradinhas foi seria 2004: foram duas nas três primeiras provas, mas Barrichello foi o quarto na segunda etapa.

AP Photo/Saurabh Das
Vettel ganhou cinco das seis primeiras em 2011 Imagem: AP Photo/Saurabh Das

De lá em diante, Jenson Button ganhou seis das sete primeiras provas em 2009, mas Barrichello não completou as dobradinhas pela Brawn GP. Dois anos depois, foi a vez da Red Bull ter um campeonato dominante e Sebastian Vettel ganhou cinco das seis primeiras, mas seu companheiro Mark Webber só fez um dos pódios das três provas iniciais.

Em 2013, Vettel também ganharia o título por antecipação, mas o time não começou se entendendo muito bem com os pneus Pirelli e só deslanchou na segunda parte do ano, quando o alemão venceu dez das últimas 11 provas.

Já na era dos motores V6 híbridos, a Mercedes teve três campeonatos cuja disputa ficou apenas entre seus pilotos, entre 2014 e 2016. Em 2014, o time teve cinco dobradinhas em seis provas, mas Lewis Hamilton abandonou a etapa de abertura. No ano seguinte, foi Sebastian Vettel que estragou a festa, vencendo pela Ferrari a segunda etapa do campeonato. E em 2016, foi Lewis Hamilton quem teve dificuldades com o carro no início da temporada, impedindo que o time conquistasse dobradinhas nas primeiras corridas.

Voltando à temporada 2019, caso a Mercedes consiga uma nova dobradinha na próxima etapa, em Baku, dia 28 de abril, seria a primeira vez que uma equipe chegaria a 100% de pontos nas quatro primeiras etapas na história. A própria Mercedes, a Ferrari, Williams e McLaren já conseguiram quatro ou até cinco dobradinhas seguidas, mas nunca no início do ano.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi publicado, foi Lewis Hamilton quem abandonou a etapa de abertura da temporada 2014, e não Nico Rosberg. A informação foi corrigida.