Topo

Fórmula 1


Partidos da Assembleia de SP se unem em pedido para F1 permanecer no estado

UESLEI MARCELINO/Reuters
Imagem: UESLEI MARCELINO/Reuters

Do UOL, em São Paulo

2019-06-25T19:59:15

25/06/2019 19h59

Os 24 partidos com representantes na Assembleia Legislativa de São Paulo se uniram em um pedido para que o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 permaneça em Interlagos. A solicitação foi feita hoje (25) e direcionada ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ao prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

Na carta, os partidos destacam as reformas feitas em Interlagos nos últimos anos. Entre elas, as mudanças realizadas entre 2014 e 2016, que reformou a pista, o centro de imprensa e ampliou os boxes.

Os deputados também destacam a geração de emprego diretos e indiretos (10 mil, segundo eles) e os R$ 334 milhões movimentados pelo evento em 2018. "Com experiência, tradição e estrutura já prontas para continuar a receber com excelência a grandiosidade deste evento, consideramos fundamental que o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 continue a ser disputado na capital paulista, em Interlagos", diz a nota.

São Paulo trava com Rio de Janeiro uma disputa para ver quem sediará o GP Brasil a partir de 2021. O presidente Bolsonaro defende abertamente a mudança da prova para o território carioca. Ontem (24), ele recebeu em Brasília o governador do Rio Wilson Witzel (PSC) e o CEO da Liberty Media, dona da Fórmula 1, Chase Carey.

Após a reunião, Bolsonaro declarou à imprensa que o Rio de Janeiro tinha "99% de chances ou mais" de ser a próxima sede da Fórmula 1 no Brasil. Na mesma entrevista, Carey foi mais cauteloso e disse que a disputa com São Paulo ainda está aberta.

Hoje (25), Carey participou de uma reunião com João Doria, Bruno Covas e Henrique Meirelles (MDB), secretário da Fazenda de São Paulo. Em entrevista após o encontro, Doria criticou o bairro de Deodoro, local escolhido pelo Rio de Janeiro para construir o novo autódromo.

"Não tem estrada para chegar lá, só a cavalo. Aluguem um helicóptero, drone. Não estou desmerecendo a opção (por Deodoro), mas não há acesso, energia, saneamento".