UOL Esporte Futebol Americano
 
25/12/2008 - 11h12

Quarterback Brett Favre ainda não sabe se segue na NFL em 2009

Das agências internacionais
Em Nova York (EUA)
Um dos maiores quarterbacks do futebol americano, o veterano Brett Favre, de 39 anos, ainda não decidiu se continuará com sua carreira ou se abandonará os campos. O problema do jogador do New York Jets não é a idade, mas a saúde de seu ombro, que dá a força para seus precisos passes com a mão direita.

Reuters
Brett Favre, um dos maiores quarterbacks da NFL, não sabe se retorna no próximo ano
BLOG: 'ANJO DE NEVE' RENDE MULTA
MAIS SOBRE O FUTEBOL AMERICANO
ENTENDA TUDO SOBRE A MODALIDADE
ENTENDA A FUNÇÃO DO QUARTERBACK
Favre insiste em dizer que ainda não sabe se seguirá atuando pelo New York Jets, time no qual estreou neste ano voltando de aposentadoria, após uma passagem marcante de 15 anos pelo Green Bay Packers.

"Eu acho que o encerramento físico, algo que todo jogador passa depois do último jogo da temporada, dará uma luz para esta decisão", afirmou o quarterback. "Vamos ver". Favre tem feito atuações abaixo de suas médias, sendo que nos últimos jogos teve apenas um touchdown e sofreu seis interceptações.

As maiores reclamações são quanto à força em seu braço, que aparentemente perdeu intensidade se comparada ao começo da temporada. Mas o norte-americano não confirmar ter problemas. "Durante o ano, inúmeras vezes me perguntaram sobre meu ombro e ele foi atingido algumas vezes. Eu não sei, talvez realmente haja alguma coisa, mas nenhum teste revelou problemas até agora."

Favre passará por exames para determinar possíveis lesões ao final da temporada, o que pode acontecer com uma derrota para o Miami Dolphins, no domingo, ou de acordo com o desempenho nos playoffs em janeiro. "Um exame revelará se há alguma coisa. Mas não quero fazer disso um grande negócio. Não vou procurar desculpas porque me sinto bem para fazer qualquer passe."

Sobre a aposentadoria, o jogador afirmou que quer pensar com calma, depois de uma saída pouco tranqüila do Green Bay. "Eu não me via jogando este ano. Então há algumas coisas que preciso pensar e discutir antes de um anúncio. Não quero ficar perseguindo fantasmas", concluiu o quarterback, dono de numerosos recordes, como os de mais jogos seguidos começando uma partida (268), mais vitórias como titular (169), entre outros.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host