Protestos contra injustiça social durante hino dos EUA marcam rodada da NFL

Do UOL, em São Paulo

  • John Sleezer/Kansas City Star/AP

    Marcus Peters ergue o punho direito durante o hino norte-americano

    Marcus Peters ergue o punho direito durante o hino norte-americano

Manifestações durante o hino dos Estados Unidos antes dos jogos da NFL têm sido recorrentes neste ano, desde que o quarterback Colin Kaepernick, do San Francisco 49ers se sentou enquanto ele era tocado em um jogo da pré-temporada da liga. Após o primeiro fim de semana da temporada regular, diversos outros atletas tomaram atitudes enquanto perfilados ao lado da bandeira norte-americana.

O primeiro deles foi o linebacker Brandon Marshall, do Denver Broncos, na última quinta-feira (8). O defensor se ajoelhou em protesto e depois explicou a ação: "Não tenho nada contra o exército, polícia ou os Estados Unidos. Sou contra a injustiça social."

No domingo, aniversário de 15 anos dos atentados de 11 de setembro, atletas do Seattle Seahawks, Miami Dolphins, Kansas City Chiefs e New England Patriots se manifestaram ao longo do hino.

Em Seattle, os jogadores Kenny Stills, Michael Thomas, Arian Foster and Jelani Jenkins, todos do Miami Dolphins, se ajoelharam entre seus companheiros de time.

Pelo Twitter, a franquia apoiou a manifestação dos seus jogadores:

"Encorajamos todos os membros da nossa organização a ficarem de pé durante o hino nacional por respeito e apreciação às liberdades que temos como norte-americanos. Reconhecemos que é um direito individual de refletir durante o hino de diferentes maneiras. Respeitamos essas liberdades e apreciamos os sacrifícios que todos fizeram pelo nosso país, especialmente neste dia (11 de setembro). Esperamos que os eventos de hoje continuem um diálogo respeitoso e reflexivo na nossa comunidade sobre união e inclusão."

No mesmo jogo, os atletas do Seattle Seahawks expressaram união ao encaixarem os braços durante o hino, mesma ação do elenco do Kansas City Chiefs em jogo com o San Diego Chargers. Um deles, no entanto, se destacou.

O cornerback Marcus Peters vestiu uma luva preta e ergueu o braço direito para cima. O gesto, que lembra o feito por Tommie Smith e John Carlos no pódio dos Jogos Olímpicos de Munique, em 1968, também foi feito por Martellus Bennett e Devin McCourty, defensores do New England Patriots.

Novas manifestações podem ocorrer ainda nesta segunda-feira (12), nos duelos entre Washington Redskins x Pittsburgh Steelers e Los Angeles Rams x San Francisco 49ers, que encerram a primeira semana da NFL.

Veja também



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos