Astro do Atlanta era juvenil e Brady já brilhava. Hoje ganha quase o dobro

Fábio Aleixo

Do UOL, em São Paulo

Matt Ryan tinha apenas 18 anos e debutava no futebol americano universitário em 2004 enquanto Tom Brady liderava o New England Patriots na conquista do Super Bowl 38 e deixava o campo como MVP (Jogador Mais Valioso) da decisão.

Treze anos depois, Brady, com 39 anos, segue na ativa e venceu outros três títulos. Ryan se tornou um dos melhores quarterbacks da NFL e lidera o Atlanta Falcons na busca da primeira taça de sua história. O time não ia à decisão desde 1998.

Neste domingo, às 21h30 (de Brasília) duelarão no NRG Stadium em Houston pelo Super Bowl 51. O local é exatamente o mesmo onde Brady venceu seu primeiro título.

Ryan teve uma temporada de encher os olhos e está concorrendo ao prêmio de MVP. Em 16 partidas da temporada regular, deu passe para 38 touchdowns - foi o segundo melhor no quesito - e sofreu somente oito interceptações. Totalizou 4.944 jardas, a segunda melhor marca do campeonato. Não à toa foi eleito o MVP em premiação na noite de sábado.

Nos playoffs, deu sete passes para touchdowns nas duas vitórias dos Falcons e não sofreu nenhuma interceptação.

Com suas atuações, tem feito jus ao que vem recebendo da equipe. Seu salário nesta temporada é o terceiro mais alto de toda a liga: US$ 23.750.000 (R$ 73,9 milhões). Ele ganha US$ 10 milhões a mais do que Brady, que recebe US$ 13.764.705 (R$ 42,6 milhões) dos Patriots.

Bob Levey/Getty Images
Matt Ryan e Tom Brady se cumprimentam em evento na última segunda-feira

Em que pese a diferença de idade e o tempo que estão na NFL, Ryan e Brady são amigos. Foi isso que contou o quarterback que entrou na liga em 2008 como a terceira escolha do draft. Era considerado um fenômeno na Universidade. Atuou na Boston College, no estado de Massachusetts, casa dos Patriots

"Ele é um amigo há longo tempo. Conheço-o desde que entrei na liga. Ele é uma boa pessoa e um cara muito legal de se conversar. Ele colocou a barra da longevidade lá no alto, jogando bem por muito tempo. Sei que ele é muito dedicado dentro e fora do campo tomando conta de sua saúde e treinando o ano todo", disse Ryan.

Se ganhar o Super Bowl neste ano, Ryan colocará fim de vez a qualquer questionamento que exista sobre ele, principalmente pelo fato de nunca ter ido bem em playoffs. Até este ano, tinha quatro derrotas e apenas uma vitória na pós-temporada.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos