Brady diz que não se incomoda se colegas se recusarem a visitar Trump

Do UOL, em São Paulo

Tom Brady afirmou não ver problemas se alguns companheiros seus do New England Patriots não comparecerem ao encontro que o time terá com Donald Trump, na casa Branca, em data ainda indefinida. Nos Estados Unidos, é tradição as equipes campeãs visitarem o presidente.

Diversos atletas dos Patriots, campeão do Super Bowl há duas semanas, já afirmaram que não pretendem encontrar Trump por não concordarem com suas políticas.

"Realmente é uma grande experiência, colocando a política de lado, pois nunca se tratou de uma coisa política. Ao menos para mim. Esta visita significa que você ganhou um campeonato e poderá desfrutar de algo diferente com seus companheiros. Mas cada um tem a sua própria escolha. Estamos fora da temporada. Estes dias são valiosos para todos. Você quer aproveitar o seu tempo com família e amigos. Então se um jogador não quiser ir, é escolha dele", disse Brady durante participação em programa da rede NBC nesta segunda-feira.

Esta será a quarta vez que Brady estará na Casa Branca como campeão do Super Bowl apesar de ter cinco títulos. Na última visita do Patriots, em 2014, o jogador não compareceu ao encontro de Barack Obama.

"Há alguns anos, eu queria ter ido, mas não tive a oportunidade por causa do calendário. Não nos falaram da visita até uns dez dias antes. E àquela altura eu já tinha um planejamento feito há meses e não pude ir", disse Brady, que é amigo de Trump.

 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos