UOL Esporte Futebol
 
02/11/2009 - 13h24

Tropeços no Brasileiro causam racha no Inter e Luxemburgo volta à pauta

Do UOL Esporte
Em Porto Alegre
A queda do Internacional nas duas últimas rodadas deflagrou uma crise interna no Beira Rio. Nas últimas cinco rodadas, o time só venceu um jogo (1 a 0 no Grenal) e ainda perdeu as duas últimas partidas. A diretoria questiona as decisões do técnico Mário Sérgio, enquanto a oposição reclama da equipe.

O clima é tão ruim que o nome de Vanderlei Luxemburgo voltou a ser cogitado. O treinador do Santos já recusou uma oferta colorada, no começo de outubro. Após seu não, Mário Sérgio foi o escolhido para substituir o demitido Tite.

Após a derrota do domingo, o presidente Vitório Piffero reclamou do treinador. "Fomos uma equipe burocrática. Foi uma tarde para apagar da memória. O Inter foi um time lento, até porque os dois centroavantes enfiados na frente tiravam o espaço da velocidade. Foi uma tarde muito ruim", afirmou, à Rádio Gaúcha.

Desde que a atual diretoria do Internacional ascendeu ao poder - e, especialmente, a partir da conquista dos títulos da Libertadores da América e Mundial de 2006 - não havia tanta insatisfação e protestos. Pela primeira vez, os mandatários do clube parecem rachados.

Piffero sofreu ataques da torcida pouco antes do fim da derrota para o Botafogo por 1 a 0. Foi xingado e virou alvo de moedas atiradas em sua direção ouviu coro de "mercenário". O dirigente tentou acalmar os ânimos e disse que ao contrário do que vem sendo noticiado em rádios gaúchas, a situação colorada seguirá unida e terá apenas um candidato para a próxima eleição presidencial, marcada para o ano que vem.

"Todo conselheiro tem direito a se candidatar. Mas a situação terá apenas um candidato. Se não estiver na nossa chapa, não é situação", afirmou. A manifestação aconteceu porque pelo menos dois nomes da atual diretoria são citados como prováveis candidatos à presidência em 2010: o atual 1º vice-presidente, Pedro Affatato, e o diretor de futebol. Giovanni Luigi.

O último, insatisfeito com os rumos que o time tomou neste final de ano no Brasileirão, faz críticas ao desempenho do Inter. "O pior de tudo é ver a equipe individualmente mal, coletivamente mal, e que o melhor em campo foi o nosso goleiro Lauro".

Além dos sinais de divisão da situação, a oposição também está longe de se unir em um único nome, para fortalecer uma tentativa de tomar o poder. Por enquanto, Cláudio Bier, que já foi candidato de oposição a Píffero na eleição de dezembro de 2008 mas foi derrotado, é nome certo.

Ele e seus correligionários estão mais confiantes agora, diante do fracasso da atual gestão, algo que ele dizia que aconteceria. Há alguns dias, em entrevista à Rádio Guaíba, ele lembrou: "Falei que no ano do centenário o clube merecia um treinador à altura de sua grandeza, mas isso não foi feito".

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host