UOL Esporte Futebol
 
04/11/2009 - 11h42

Na briga com Horcades, oposição do Flu sofre outra derrota na Justiça

Marlos Bittencourt
No Rio de Janeiro
A oposição ao presidente Roberto Horcades sofreu a segunda derrota na esfera judicial em relação a antecipação a data da votação do impeachment do mandatário do clube, marcada para o próximo dia 19. Os desembargadores da Câmara Cível, segunda instância do Tribunal de Justiça, indeferiram terça-feira passada o agravo de instrumento que pedia a reforma da sentença da juíza Érica de Castro, que já havia confirmado a data da reunião.

Pedro Ponzoni/UOL Esporte 
Pedro Ponzoni/UOL Esporte
Roberto Horcades vem sofrendo grande pressão por parte da oposição tricolor
LEIA MAIS NOTÍCIAS DO FLUMINENSE
PÁGINA DO CAMPEONATO BRASILEIRO
Os defensores do impedimento do presidente Horcades entraram na última sexta-feira com o recurso, a segunda tentativa de antecipar a reunião do impeachment. A oposição alega que o dia 19, véspera do feriado da Consciência Negra, poderá prejudicar o quorum da reunião, já que muitos conselheiros poderiam estar viajando e esvaziar a votação.

O presidente do Conselho Deliberativo do Fluminense, Carlos Henrique Mariz, foi acusado pela oposição de ter rasgado o estatuto do clube ao marcar a reunião do impeachment para o dia 19. O vice-presidente geral do clube, José de Souza, chegou a bater boca com Mariz pela imprensa.

Para a reunião do dia 19 ser levada adiante, 151 dos 300 integrantes do Conselho Deliberativo deverão estar presentes. Para Horcades ser afastado do cargo, dois terços dos conselheiros devem votar a favor do impeachment, mas o processo poderá ser encerrado caso não haja quorum mínimo.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host