UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
26/05/2010 - 07h00

Vítima de 'desmanches', Corinthians diz estar vacinado contra perdas no elenco

Bruno Thadeu
Em São Paulo

Nas últimas três participações na elite do Brasileiro, o Corinthians cometeu o mesmo pecado: se desfez de jogadores imprescindíveis na abertura da janela internacional - durante o torneio - e viu os planos rumo ao pentacampeonato nacional naufragarem. O Corinthians “versão 2010” está vacinado contra novas perdas no elenco, argumenta Mano Menezes.

DESMANCHES EM PLENO BRASILEIRO

  • 2006 - Estrela do time, Tevez foi negociado durante o Brasileiro. Em seu lugar, veio Amoroso. Mascherano também deu adeus. Sem os gringos, o plano de uma "dobradinha" de título (2005 e 2006) foi deixado de lado na segunda metade do torneio.

    2007 - Willian. Jovem reluzia em meio à fragilidade do time, mas ele não durou muito no Corinthians, saindo durante o Nacional. Para sanar a perda, o clube saiu atrás de reforços, contratando o desconhecido Aílton. O resultado foi trágico: queda para a Série B.

  • 2009 - Não bastasse perder Douglas durante o Nacional, o Corinthians negociou André Santos e Cristian. O projeto tríplice coroa deu lugar a uma participação insossa no torneio do ano passado

A hipótese de negociar atletas do time titular não está descartada, acrescenta o treinador. A diferença é que o atual grupo, ao contrário dos outros anos, terá condições de suprir eventuais saídas, entende Mano.

Líder isolado do Brasileirão, o Corinthians nega haver propostas por atletas, mas aguarda o aquecimento do mercado da bola, em agosto.

“A gente se preocupou de forma antecipada para enfrentar perdas como essas que podem ocorrer. Estamos preparados. É normal haver perdas. É o processo atual do futebol brasileiro. Mas vamos esperar também. Não vamos criar problema antes que aconteça”, comenta Mano.

Os jogadores que mais atraem o mercado internacional são Jucilei, Elias, e Dentinho. Para o ataque, Defederico é a opção caso Dentinho saia. Caso haja perda no meio-campo, Mano aposta em Bruno César.

Ronaldo e Roberto Carlos pretendem encerrar a carreira no país.

O Corinthians tem sido vítima de sua política de "desmanches" em pleno Brasileiro, liberando jogadores considerados referências no sistema ofensivo.

Em 2006, o Corinthians negociou a estrela e capitão do time, Caros Tevez, em transação nebulosa para o West Ham. Mascherano teve mesmo destino. A relação entre Tevez e Emerson Leão se tornou insustentável. Na vaga do atacante argentino, o Corinthians trouxe Amoroso.

A situação da equipe no campeonato, que era apenas regular com Tevez, se tornou ainda mais instável, terminando o torneio apenas com uma vaga na Sul-Americana, graças a uma arrancada na reta final.

No ano seguinte, foi a vez do clube se desfazer da única estrela do time, o meia Willian, negociado para o futebol ucraniano. Houve declínio acentuado do clube no Brasileiro após a saída de Willian. O resultado foi trágico: o Corinthians amargou queda para a segunda divisão.

Em 2009, o golpe foi “triplo”. O Corinthians ficou esfacelado com as perdas de Douglas, Cristian e André Santos. O time alvinegro começou o Nacional projetando a conquista da tríplice coroa. O sonho ficou pelo caminho após o desmanche. O time se contentou em terminar o Brasileiro do ano passado longe do topo.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host