UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
27/05/2010 - 07h00

Maracanã se "despede" dos clássicos com Fla-Flu de apenas 14 mil pagantes

Cauê Rademaker
No Rio de Janeiro

Em 14 de outubro 1951, Flamengo e Fluminense disputaram o primeiro Fla-Flu da história do Maracanã. Na ocasião, o time tricolor venceu por 1 a 0 em um estádio lotado. Nesta última quarta-feira, quase 59 anos depois, as equipes voltaram a se enfrentar no palco no último clássico antes do fechamento para as reformas visando a Copa do Mundo de 2014 no país. O clube das Laranjeiras voltou a triunfar, mas sem o glamour daquela partida da década de 1950.

Isso porque na época o público pagante foi de 94.558 torcedores, mas, assim como ocorre até hoje, o público presente foi muito maior, com 109.212 espectadores registrados. Algo bem superior ao que compareceu neste 26 de maio de 2010, quando apenas 14.496 torcedores pagaram seus ingressos para assistir ao Fluminense vencer por 2 a 1. No total, havia 20.561 presentes.

“Estamos acostumados com grandes clássicos aos domingos à tarde. Durante a semana, às 19h30, com proximidade da Copa do Mundo, as dificuldades financeiras do torcedor em pagar ingressos com jogos quarta e domingo, já era esperado”, apontou o técnico do Flamengo, Rogério Lourenço.

Se faltou número nas arquibancadas, não faltou vibração. Principalmente por parte da torcida do Fluminense, que compareceu em número muito superior à rubro-negra, em algo pouco comum no confronto entre ambos.

Com o time em vantagem desde os dez minutos do primeiro tempo, com o gol de Rodriguinho, os tricolores não pararam de cantar. Os gritos de incentivo se transformaram em imensa provocação a partir dos 14min da segunda etapa, quando Conca marcou um golaço de fora da área, fazendo jus a um dos clássicos mais famosos do mundo, no palco que talvez seja o mais tradicional do futebol mundial.

"Marcar meu primeiro gol pelo Fluminense logo num Fla-Flu é maravilhoso. Não tem preço ajudar o time a vencer esse clássico", disse um emocionado Rodriguinho após o jogo.

Aos 29min da segunda etapa, a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, começou a ser insultada por alguns torcedores flamenguistas após a expulsão de Fernando, e deixou o estádio. Ao passar pelo lado tricolor, ouviu gritos de apoio irônico, os quais também retribuiu com ironia, mandando beijinhos.

Contudo, no fim a torcida pó-de-arroz se calou e viveu minutos de apreensão com o gol rubro-negro, em falta muito bem cobrada pelo goleiro Bruno, aos 45min do segundo tempo. Foi o suficiente para a pequena torcida flamenguista festejar e alimentar a esperança no empate, diante de calados e angustiados tricolores. Mas faltava pouco. Coube ao jovem Alan prender a bola na frente e assegurar o triunfo ao Fluminense, que não vencia o tradicional clássico desde 2008.

Agora, o próximo Fla-Flu no Maracanã não tem data para ocorrer, mas muito provavelmente será apenas em 2013, quando o estádio precisa estar pronto para ser utilizado. Até lá, os torcedores terão que tentar se acostumar com o clássico no Engenhão, em Volta Redonda ou em outras casas. A missão é tentar levar aos locais a magia do duelo, que não chegou a ser brilhante nesta última quarta-feira, mas foi um Fla-Flu no Maracanã.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host