UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
31/05/2010 - 09h11

Introvertido, Bruno César se destaca e ofusca jovens estrelas santistas

Lucas Reis e Mariana Bastos
Folhapress, em São Paulo

Em um jogo em que se esperava muito dos meninos da Vila, Neymar e Ganso, quem se destacou foi um menino do Parque São Jorge. Recém-contratado pelo Corinthians, Bruno César, 21, iniciou seu primeiro jogo como titular no time justamente em um clássico e não se acanhou. Com um gol e a participação no lance que rendeu o tento a Jorge Henrique, mostrou que pode se manter como titular na temporada.

E o ex-meia do Santo André, que já havia batido o Santos na final do Paulista (3 a 2), só não ganhou uma oportunidade antes no time por ser um jogador acanhado, qualidade oposta à dos excêntricos meninos da Vila.

‘Ele não é um jogador que chega e já se ambienta com tanta facilidade. Precisamos cuidar disso, no primeiro momento, para dar uma condição boa para ele entrar na equipe”, comentou o treinador Mano Menezes.‘Mas, desde o primeiro dia, ele ‘falou’ bem com a bola nos pés”, completou o comandante corintiano.

Após o jogo, no entanto, além de ter se comunicado jogando futebol, Bruno César foi claro para solicitar uma vaga no time nos próximos jogos. O Corinthians voltará a campo na quinta, contra o Internacional, pelo Brasileiro. ‘Espero ter entrado [no time] para não sair mais. Sabia que era importante fazer uma boa partida hoje [domingo] e estou feliz porque eu fiz”, declarou o meia.

Com a aposta no jovem talento, fazendo dupla na armação com Danilo, Mano Menezes abdicou do 4-3-3: jogou apenas com Dentinho e Jorge Henrique no ataque. E deu indícios de que manterá o 4-4-2 nos próximos jogos, sem um atacante fixo, como Souza ou Ronaldo.

‘É difícil jogar no 4-3-3 no Brasil porque quase ninguém joga assim. E, às vezes, você fica em inferioridade numérica no meio-campo”, disse o técnico, que garantiu sua permanência no clube, apesar do assédio do Porto. Mano mais uma vez minimizou a eliminação da Libertadores, exaltando a campanha do time nos últimos 16 jogos: 14 vitórias e apenas um empate e uma derrota.

O treinador gaúcho também fez questão de conter a euforia daqueles que já antecipam a conquista do título.
‘Ganhar aumenta a confiança de sua equipe, mas não podemos nos equivocar achando que vencer o Santos basta para concorrer ao título. Temos que saborear a vitória, mas precisamos evoluir”, disse o técnico.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host