UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
10/06/2010 - 14h02

Empresário vê dificuldade em trazer Valdívia: "é o pior mercado para negociar"

Do UOL Esporte
Em São Paulo

Depois de trazer o atacante Kleber a diretoria do Palmeiras agora tem um novo foco, o atacante Valdívia, que atualmente defende o Al-Ain, dos Emirados Árabes. Escolhido pelo clube para mediar a negociação, o empresário Giuseppe Dioguardi revelou que as conversas não serão fáceis, já que no Oriente Médio o que menos importa é o dinheiro.

“É um mercado diferente, lá o dinheiro não conta e isso torna as coisas muito difíceis, pois é o pior mercado para se trabalhar. Funciona mais ou menos como no leste europeu, o dinheiro realmente é o menos importante”, explicou Dioguardi, em entrevista à rádio Jovem Pan.

Atualmente Valdívia está concentrado com a seleção chilena na Africa do Sul, onde vai disputar a Copa do Mundo, por conta disso, o empresário declarou que qualquer negociação só deve começar após o jogador tirar o foco do torneio, já que a opinião do atleta será fundamental para uma possível transferência.

“O mais importante nesta negociação será a posição do atleta. O Valdívia está agora na Copa do Mundo, totalmente concentrado e a gente não quer que ele perca o foco, mas a opinião dele será fundamental. É o que eu sempre digo, neste tipo de mercado 80% depende do clube e 20% do jogador, que vai ter que chegar e falar que quer voltar ao Palmeiras”, revelou o empresário.

O PALMEIRAS NO TWITTER

Valdívia foi negociado pelo Palmeiras em 2008, logo após a conquista do Campeonato Paulista. Para trazê-lo de volta, o clube alviverde precisa pagar ao Al-Ain cerca de seis milhões de euros (aproximadamente R$ 13,2 milhões). Para deixar ainda mais complicado o retorno do atleta, um clube inglês teria feito uma proposta de quase R$ 9 milhões por 50% dos direitos federativos e os árabes não aceitaram.

A proposta do Palmeiras para trazer o jogador por um empréstimo de um ano e que Valdívia prorrogasse seu contrato com o Al-Ain, que vence no final de 2012, para até dezembro de 2013 já foi recusada pelos árabes. Outro fator que pode atrapalhar a vinda do meia para o time Paulista é sua participação na Copa do Mundo, que se for muito boa pode chamar a atenção dos grandes clubes da Europa.

Apesar disso, Dioguardi, que é o empresário do atacante Kleber, acredita que o Palmeiras vai montar um grande time. “Eu como empresário gosto de saber que meu atleta vai para um time onde tenham jogadores de ponta e que o clube vai investir. O Kleber é parte de um projeto da diretoria do Palmeiras que montar uma excelente equipe para conquistar títulos.”

 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host