UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
16/07/2010 - 07h10

Cruzeiro tenta se adaptar à "nova casa" e com torcida mais próxima

Gustavo Andrade
Em Belo Horizonte
  • Gilberto diz proximidade da torcida pode tanto ajudar quanto atrapalhar a equipe durante o jogo

    Gilberto diz proximidade da torcida pode tanto ajudar quanto atrapalhar a equipe durante o jogo

Depois da disputa de apenas um jogo-treino na Arena do Jacaré, o Cruzeiro se prepara para a disputa do primeiro jogo oficial como mandante no estádio de Sete Lagoas. No domingo, diante do Goiás, às 18h30 (de Brasília), o time celeste terá a primeira oportunidade de atuar diante da torcida, já que na partida amistosa contra o Tupi os portões estiveram fechados.

Em um estádio em que o gramado está mais próximo das arquibancadas, os jogadores esperam contar com grande apoio dos torcedores para pressionar o Goiás. “É bom ter a torcida do nosso lado. A gente está consciente que precisa do torcedor. É importante que eles estejam sempre do nosso lado para fazermos bons jogos. Não sabemos como é jogar ali com o estádio lotado. Seria bom que estivesse lotado para jogarmos bem”, afirmou o atacante Wellington Paulista.

O meia Gilberto, entretanto, ressalta que a proximidade da torcida pode se reverter em pressão sobre a própria equipe. “A proximidade da torcida ajuda, mas às vezes atrapalha quando torcedor cisma de criticar. De qualquer forma, o Cruzeiro tem de ganhar sempre. Vai ser bom, o estádio em si é bom, dá para fazer uma coisa boa. Vamos procurar fazer o que o torcedor pede”, observou.

A principal preocupação dos jogadores do Cruzeiro em relação à Arena do Jacaré está na irregularidade do gramado. “O campo é um pouco parecido com Mineirão, apenas tem algumas ondulações que atrapalham um pouco. O estádio é bom e vai ser importante a torcida estar perto”, analisou Wellington Paulista.

“A gente sabe que não tem mais o Mineirão. Vamos procurar imprimir o mesmo ritmo, é um campo de boas dimensões. Nossa equipe tem toque de bola muito bom e pode ser um pouco prejudicado pela irregularidade do gramado. Mas é o estádio que a gente tem, o gramado que temos, e vamos procurar fazer o melhor”, destacou Gilberto.

Sem o Mineirão, que passa por reformas visando à Copa do Mundo de 2014, o Cruzeiro utilizará, inicialmente, a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, e, na sequência, o Parque do Sabiá, em Uberlândia. Há a possibilidade de que o clube opte também por utilizar o Ipatingão em algumas das outras nove partidas em que será mandante no Campeonato Brasileiro.

Os adversários que o Cruzeiro receberá em Sete Lagoas serão, além do Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente e Vitória, todos em sequência. Já em Uberlândia, o time celeste enfrentará Corinthians, Flamengo e Internacional. Na ocasião em que anunciou os locais das partidas, o presidente Zezé Perrella justificou a escolha pela cidade do Triângulo Mineiro para os últimos três jogos pela capacidade de público.

Os dois clássicos entre Cruzeiro e Atlético pelo Brasileirão serão disputados na Arena do Jacaré, porém apenas com a presença de torcida da equipe mandante. As diretorias dos dois clubes tomaram essa decisão com o aval de autoridades de segurança pública para evitar confrontos entre torcedores rivais.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host