UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
Fernando Santos/Folha Imagem

Ricardo Gomes admite que depende dos resultados para 'sobreviver' no São Paulo

20/07/2010 - 19h24

R. Gomes aceita pressão e brinca com 'sombra' Leonardo para substituí-lo

Carlos Padeiro
Em São Paulo

Criticado por boa parte da torcida do São Paulo e por dirigentes influentes nos bastidores do Morumbi, o técnico Ricardo Gomes demonstrou tranquilidade ao ser bombardeado, nesta terça-feira, com perguntas sobre a ameaça de deixar o comando da equipe tricolor.

O treinador até brincou quando foi questionado se Leonardo, um dos nomes comentados para assumir o seu lugar, poderia ser contratado para o cargo de coordenador de futebol. “Isso não sei, mas vi o nome dele para ser técnico. Alguém de vocês que escreveu”, disse e sorriu, assim como os jornalistas presentes na entrevista coletiva. Além do ex-técnico do Milan, Silas e Adílson Batista ganham adeptos entre os cartolas são-paulinos.

A pressão sobre Gomes ganhou força com as derrotas para Avaí (2 a 1 em casa) e Vitória (3 a 2 em Salvador), na volta do Brasileirão após a pausa da Copa do Mundo. Torcedores pedem a sua saída, enquanto dirigentes o crucificam em reuniões internas.

O chefe da comissão técnica vê com naturalidade as cobranças. “Faz parte da vida, é normal”, decretou. “Não é a primeira vez esse ano, acho que é a segunda. Quando o resultado não aparece, surge o questionamento, e o treinador é sempre o primeiro a sofrer.”

Ao ser indagado se existe uma garantia por parte da diretoria para ele seguir à frente da equipe paulista mesmo com um tropeço diante do Grêmio Prudente, nesta quarta-feira, Gomes respondeu: “Garantia não. Resultados. Quando cheguei aqui falaram que o time brigaria para não cair [no Brasileiro de 2009] e por pouco não fomos campeões. A prioridade sempre foi a Libertadores onde conquistamos bons resultados. Aqui é provar todo dia com resultados.”

Publicamente, a cúpula adota um discurso de apoio ao treinador, embora não deixe de lamentar o rendimento do time após a pausa da Copa.

“Satisfeitos não estamos. Esperávamos que a equipe voltasse melhor depois desses 40 dias de treino, mas perdeu ritmo de jogo. A tendência é evoluir agora", declarou o diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes, que compareceu ao CT da Barra Funda na tarde desta terça.

"O retrospecto é favorável ao Ricardo. Ele pegou o time lá embaixo no Brasileiro do ano passado e brigamos pelo título. No Paulista fomos o único grande da capital classificado entre os quatro primeiros. Na Libertadores estamos na fase final”, acrescentou o cartola.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host