UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
20/07/2010 - 11h13

'Zagueiro-zagueiro', Welinton diz que não brinca em serviço com a bola na área

Marlos Bittencourt
No Rio de Janeiro

Parece que tirar a vaga de Welinton na zaga rubro-negrar será uma missão complicada para David, impossibilitado de atuar porque o Flamengo ainda não pagou ao Panathinaikos, da Grécia, os R$ 500 mil pela liberação do jogador. Com isso, o atual titular mandou um recado àqueles que pensam se tratar de jogador inexperiente, apesar de ter apenas 21 anos.

“Não brinco na defesa, não tem jogada bonita comigo. É chute para a frente sem oba-oba. Sou zagueiro-zagueiro”, avisou Welinton, referindo-se a uma análise do técnico Vanderlei Luxemburgo que, certa vez, rotulou o então jogador Odvan (ex-Vasco, Flamengo e Botafogo) de zagueiro-zagueiro quando o chamou para a seleção brasileira.

Welinton diz ter apoio e compreensão de vários companheiros de time. Ele procura conversar com alguns mais antigos e mais rodados para adquirir confiança ao vestir a camisa rubro-negra. O zagueiro, formado na base do Flamengo, afirma ter ótimos “professores na sala de aula” que lhe ajudam quando necessário.

“Petkovic, Ronaldo Angelim, Léo Moura e Juan conversam comigo, me ensinam como agir em campo e me dão conselhos. Com jogadores experientes ao meu lado fica bem mais fácil jogar. Isso me motiva e me faz trabalhar com mais seriedade”, disse o zagueiro.

Criado com o goleiro Marcelo Lomba na “escola rubro-negra”, Welinton não vê problema algum em entrar no time neste momento. Segundo ele, o entrosamento com o companheiro de longa data é o suficiente para se comunicar em campo apenas num olhar ou num gesto. Os dois se ajudam durante as partidas.

“A motivação que um dá para o outro é muito importante porque estamos começando. Em campo estamos sempre atentos e nos entendemos muito bem nos treinos e nos jogos. Estou num momento importante na minha carreira”, disse Welinton.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host