UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
24/07/2010 - 09h11

Silas justifica opção pelo 3-5-2 com falta de velocista no grupo do Grêmio

Marinho Saldanha
Em Porto Alegre

Ao justificar a escolha do sistema 3-5-2 para o duelo com o Cruzeiro, domingo, às 16h, em Sete Lagoas, o técnico do Grêmio, Silas, exaltou a falta de um jogador de velocidade em seu elenco. Segundo o comandante, para adotar outro sistema seria necessário um atleta com esta característica. A direção segue em busca deste jogador no mercado, mas a procura não evoluiu durante a última semana. Trabalhando com o que tem na mão, Silas definiu o time com a improvisação de Hugo na ala.

"Optei pelo 3-5-2 por uma somatória de razões. Primeiro que precisamos nos fechar fora de casa. Segundo pelas características do nosso time. O jogador mais rápido que eu tenho hoje é o Jonas. O Edílson até é veloz mas não usa isso o tempo todo. O Lúcio que é muito rápido está fora, e os outros não são. O Rodrigo é rápido atrás, o Mário não está e seria atrás, da mesma forma o Saimon. Então não estamos saindo com a velocidade necessária. Por isso precisamos ocupar os espaços dentro de campo e sair com velocidade. Mudamos um pouco as características e vamos nos fechar um pouco mais fora de casa. Dentro de casa o 4-4-2 até está dando certo, mas o momento é de mudança", explicou o treinador.

Silas nunca escondeu a necessidade deste velocista no grupo de jogadores. Para resolver este problema, a direção do clube tenta a contratação de um jogador com esta característica, mas está encontrando dificuldades. Éder Luís, primeiro a ser tentado, foi para o Vasco, Geovanni foi descartado, Bruno Meneghel também, Marcelo Moreno deve seguir na Europa e não tinha exatamente as características necessárias e o futuro reforço ainda é um mistério.

Luiz Onofre Meira chegou a dizer que trabalha somente com uma possibilidade e se não conseguir trazer este jogador irá desistir. O nome é mantido em sigilo para evitar que a negociação seja prejudicada, mas ainda não houve avanço.

O GRÊMIO NO TWITTER

Caso Silas optasse pelo 4-4-2 teria que escalar Dener, de apenas 18 anos, como lateral-esquerdo. "Se ele [Dener] já tivesse treinado conosco há algum tempo e estivesse bem familiarizado não teria problema, mas ele veio para suprir uma falta momentânea. Daqui a pouco os lesionados estarão de volta. Não é que eu não veja chance para ele, mas o momento é de colocar um jogador que vai me dar mais autoridade do meio para frente, e isso o Hugo vai me dar. Não quero queimar o menino em um jogo difícil. O Cruzeiro vem de uma derrota e não será um jogo simples", comentou Silas.

O jogo deste domingo segue sendo fundamental para a permanência de Silas. Vindo de um empate em casa, contra o Vasco, o comandante ganhou um certo crédito junto a direção e o presidente Duda Kroeff descartou sua saída independente do resultado. Mesmo assim, uma derrota contra o time mineiro pode mudar tudo e ocasionar a demissão do comandante.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host