UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
25/07/2010 - 10h40

Grêmio lembra momento bom e ignora fracassos no 3-5-2

Marinho Saldanha
Em Porto Alegre

Momento bom....

Celso Pupo/Foto Arena/AE
O melhor momento do 3-5-2 no Grêmio ocorreu contra o Fluminense, na Copa do Brasil. Em entrevista coletiva, Silas fez questão de enaltecer o confronto como exemplo a ser seguido contra o Cruzeiro, em Sete Lagoas.

O esquema tático utilizado pelo Grêmio no jogo deste domingo, às 16h, contra o Cruzeiro, em Sete Lagoas, não é nenhuma novidade. Testado desde o início da temporada, o 3-5-2 acumula mais fracassos do que bons jogos. Por isso, o Grêmio faz questão de enaltecer o único momento positivo da nova formação como argumento para o embate.

A primeira experiência no 3-5-2 ocorreu ainda na pré-temporada. Um amistoso contra o Flamengo de São Valentim, time amador de Bento Gonçalves, mostrou que a equipe não estava habituada ao sistema. Mesmo que o grupo de jogadores tenha ganho acréscimos importantes, naquele momento a dificuldade encontrada contra um time que sequer era profissional sepultou a formação até meses mais tarde.

A segunda utilização do 3-5-2 veio na Copa do Brasil. A expulsão de Rodrigo obrigou Silas a recuar Neuton e formar com três zagueiros contra o Fluminense. O desempenho superou expectativas e motivou o técnico gremista a pensar em repetir a dose.

Porém, a última vez que a formação esteve presente no Grêmio foi a pior de todas. Muitas lesões prejudicaram o time e tornou a mudança obrigatória contra o Santos, no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil. Em 20 minutos o 3-5-2 fez com que o Grêmio levasse dois gols e Silas precisou alterar o sistema ainda no primeiro tempo para evitar o pior. De volta ao 4-4-2 o time tricolor virou o jogo para 4 a 3.

... e momento ruim do 3-5-2

Nabor Goulart/Freelancer
Apesar de Silas ignorar esta partida, o Grêmio penou com o 3-5-2 no início do confronto com o Santos, em Porto Alegre, na semifinal da Copa do Brasil. Em 20 minutos o 2 a 0 para os paulistas fez o técnico mudar de esquema para virar o jogo.

Em entrevista coletiva concedida na sexta-feira, Silas disse não lembrar do fracasso da formação no embate contra os santistas. O treinador teimou com os jornalistas que o 4-4-2 esteve presente durante todo o jogo. Mesmo sendo alertado da entrada de Joílson somente no decorrer do embate, Silas seguiu com sua opinião. O técnico elegeu o jogo contra o Fluminense como meta de desempenho no novo esquema tático.

Sempre que o 3-5-2 é utilizado Hugo é o escolhido para ser sacrificado. Sem gostar de atuar como ala, o ex-jogador do São Paulo sempre é levado ao flanco quando é necessária a mudança.

"O professor já me botou de volante, lateral e eu não reclamo, procuro fazer o melhor. Participei de todos os jogos do Brasileiro, isso é sinal que há um comprometimento. Na temporada tomei só 3 ou 4 cartões, muito pouco para minha posição e o número de jogos. Da minha parte há um comprometimento muito grande com o time", disse o meia.

Contra o Cruzeiro, o esquema 3-5-2 terá nova oportunidade no time portoalegrense. "O Cruzeiro é um adversário muito forte e difícil, mas o Grêmio é grande. Aonde vai tem que buscar a vitória e queremos muito a conquistar isso fora de casa", acrescentou Hugo.

Edílson sentiu uma lesão e virou desfalque de última hora. Também improvisado, Maylson será o substituto no flanco direito.

 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host