UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
Juliana Flister/VipComm

Wellington Paulista comemora gol que deu vitória ao Cruzeiro sobre o Atlético-MG

01/08/2010 - 20h26

Cruzeiro vence o clássico de uma torcida e complica situação do Atlético

Do UOL Esporte
Em Belo Horizonte

No clássico de uma só torcida, o Cruzeiro não se incomodou com a ausência de seu público e venceu o rival Atlético-MG, por 1 a 0, na noite deste domingo, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Enquanto o time celeste voltou a ganhar, depois de uma derrota e um empate, a equipe atleticana, que teve o apoio de 12.340 pagantes, completou quatro partidas sem triunfo e segue como vice-lanterna. Ao final da partida, houve um início de briga entre jogadores dos dois times, mas a turma do "deixa disso" evitou o agravamento da situação. Depois disso, os atletas celestes comemoraram muito, em campo, o triunfo.

ASSISTA AO GOL DA VITÓRIA DO CRUZEIRO

Com o resultado, o Cruzeiro passou a 19 pontos em 36 possíveis (aproveitamento de 52,77%), enquanto o seu rival ficou estagnado nos 10 pontos, dois a mais que o lanterna Atlético-GO, e dois a menos que Goiás e Grêmio, 17º e 18º colocados, respectivamente. O time celeste, que jogou os últimos minutos com um jogador a menos, após a expulsão de Gil, por ter deixado o braço em Diego Tardelli, cumpriu o objetivo de somar três pontos no clássico para se manter perto do G-4.

O principal jogo do futebol mineiro, disputado pela primeira vez em Sete Lagoas, já que Mineirão e Independência estão fechados para reforma, teve dois tempos distintos. O primeiro acabou virando um ataque contra defesa. Apesar disso, o Cruzeiro construiu o seu triunfo naquela etapa, quando Wellington Paulista acertou belo chute. No segundo, houve mais equilíbrio, com o time celeste também atacando e até dominando em vários instantes.

PRINCIPAIS LANCES

PRIMEIRO TEMPO
1 min - Diego Tardelli invade a área pela esquerda e bate forte. Fábio solta o rebote para o meio da área, mas a zaga coloca para escanteio
15 min - Diego Macedo cruza na área e Jonathan afasta de cabeça. João Pedro pega o rebote e chuta forte, mas Fábio cai no canto direito e defende firme
25 min - João Pedro dribla Fabrício e chuta no cantinho, Fábio se estica e coloca a bola para escanteio
32 min - GOOOLLL DO cruzeiro!!! Wellington Paulista recebe de Fabrício e arrisca de fora da área. A bola bate na trave e entra no canto direito de Fábio Costa, que ficou estático no centro do gol
39 min - Cruzamento na área, Diego Souza pega de primeira e acerta a trave esquerda de Fábio, que já estava batido
SEGUNDO TEMPO
1 min - Diego Renan recebe pela esquerda e chuta forte, Fábio Costa desvia a bola, que bate na trave e vai a escanteio
5 min - Thiago Ribeiro avança pela direita, dribla Cáceres e chuta forte, mas a bola sai por cima do travessão atleticano
7 min - Wellington Paulista abre o jogo com Thiago Ribeiro, que toca na saída de Fábio Costa, mandando a bola para a rede. O árbitro, porém, invalida a jogada, marcando impedimento do camisa 11 celeste
21 min - Fernandinho cobra falta na área, Jairo Campos desvia de cabeça e Fábio defende firme
47 min - Diego Souza desperdiça boa chance, ao chutar para fora a bola, após rebote da defesa celeste

Na etapa inicial, não foi apenas a bola rolando que chamou a atenção. Um gato desviou os olhares por alguns instantes e, após o gol cruzeirense, houve uma discussão entre jogadores atleticanos, especialmente envolvendo Diego Tardelli e Werley, mas envolvendo também outros atletas como Jairo Campos. No final do segundo tempo, o Cruzeiro conseguiu administrar a vantagem e a vitória.

O clássico não foi disputado só dentro de campo. Depois de muito mistério ao longo da semana, que Vanderlei Luxemburgo e Cuca tentaram despistar os seus adversários, o Atlético-MG foi escalado no 3-5-2 e o Cruzeiro no 4-4-2. Pelo lado do mandante, o treinador atleticano optou por Cáceres, Werley e Jairo Campos, com Diego Souza mais avançado, ao lado de Diego Tardelli e Obina, que volta após se recuperar de cirurgia, no banco.

As novidades pelo lado do Atlético foram levadas também para a numeração. Diego Souza passa a jogar a partir de agora com a camisa 1, por representar, segundo a assessoria de comunicação do clube, a maior contratação da temporada. Já o goleiro Fábio Costa jogará com a camisa 13. No Cruzeiro, Gilberto e Cláudio Caçapa, que estavam em recuperação, foram vetados.

Os dois jogadores tiveram seus nomes incluídos na relação de convocados divulgada por Cuca na manhã de sábado, mas nem chegaram a viajar para o local da concentração, no mesmo dia. Ambos foram dispensados, de acordo com o diretor de comunicação celeste, Guilherme Mendes, pela impossibilidade de se recuperarem. Mas essa notícia não foi divulgada pelo clube mantendo a expectativa de que ambos pudessem atuar, o que não aconteceu.

O primeiro tempo começou com um susto para o time de Cuca. Logo no minuto inicial, Diego Tardelli recebeu pela esquerda, chutou, obrigando o goleiro Fábio a fazer boa defesa, embora tenha dado rebote, que não foi aproveitado pelo ataque atleticano. O Atlético-MG atacava mais, tentando colocar em prática a receita que havia sido dada, em entrevista, por Diego Souza: pressionar o time cruzeirense, aproveitando o fato de só ter torcida do time mandante no estádio.

E o time atleticano criou sucessivas oportunidades, obrigando o goleiro Fábio a fazer difíceis defesas, evitando que o alvinegro saísse à frente. Na base do “quem não faz, leva”, o Cruzeiro que pouco havia chegado ao ataque, abriu o placar, aos 32 min, por intermédio de Wellington Paulista. A jogada começou com o estreante zagueiro Edcarlos, que lançou a bola para Fabrício, o volante ajeitou para o atacante cruzeirense que acertou um potente chute. A bola bateu no travessão e entrou nas redes de Fábio Costa.

Wellington Paulista, que havia manifestado dúvida sobre a comemoração de um gol sem o torcedor cruzeirense, celebrou a vantagem dentro do gramado, cercado por seus companheiros. Já os jogadores atleticanos se enervaram com a vantagem adversária e aos 36 min houve um desentendimento entre Diego Tardelli e Werley.

Os dois atletas foram advertidos verbalmente pelo árbitro Wilson Luiz Seneme. Acalmados os ânimos, o Atlético-MG voltou a atacar e Diego Souza, aos 39 min, mandou a bola na trave celeste, quando Fábio já estava batido. Apesar da pressão alvinegra, o Cruzeiro deixou o campo, para o intervalo, com a vitória parcial.

OPINIÃO DO BLOGUEIRO

"Galo brilha de novo. E perde mais uma vez"

Os jogadores atleticanos se dirigiram rapidamente ao vestiário, evitando entrevistas. Diego Tardelli, em poucas palavras, minimizou o incidente com Werley. “Discussão normal de jogo, querendo se ajeitar no campo”, afirmou o atacante. O zagueiro, por sua vez, não quis comentar. O lateral-direito celeste, Jonathan, reconheceu que o Cruzeiro foi pressionado, mas gostou da atuação. “A dificuldade é deles. O time deles é que está na zona de rebaixamento e nós estamos sabendo controlar o jogo”, observou.

O jovem Werley não voltou para o segundo tempo. Luxemburgo promoveu a entrada de Obina, que voltou a jogar quatro meses depois de se recuperar de cirurgia no tornozelo esquerdo, desfazendo o 3-5-2. O Cruzeiro retornou com a mesma formação. Mas a equipe modificou sua postura e buscou mais o ataque, tanto que logo a 1 min Diego Renan acertou belo chute, que Fábio Costa desviou. A bola bateu na trave e saiu para escanteio.

Quatro minutos depois, o Cruzeiro criou outra chance de gol, por meio de Thiago Ribeiro, que, no entanto, errou a finalização. Ao contrário do primeiro tempo, o time celeste dominava a partida e ameaçava constantemente o gol defendido por Fábio Costa. Aos poucos, mais na base da vontade, o time atleticano tentou retomar a pressão, mas quando chegava a finalizar, esbarrava na segura atuação de Fábio, decisivo para garantir o triunfo cruzeirense. Nem a expulsão de Gil, aos 38 min, que deixou o time com um a menos mudou a história do clássico.

ATLÉTICO-MG 0 X 1 CRUZEIRO

ATLÉTICO-MG
Fábio Costa; Werley (Obina), Cáceres, Jairo Campos; Diego Macedo (Zé Luiz), Serginho, João Pedro, Ricardinho (Leandro) e Fernandinho; Diego Souza e Diego Tardelli
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CRUZEIRO
Fábio; Jonathan, Edcarlos, Gil e Diego Renan; Fabinho, Fabrício (Elicarlos), Marquinhos Paraná e Everton (Rômulo); Wellington Paulista e Thiago Ribeiro
Técnico: Cuca

Data: 1/8/2010 (domingo)
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Altemir Hausmann (RS)
Público: 12. 340 pagantes
Renda: R$ 265.775
Cartões amarelos: Thiago Ribeiro (C), Edcarlos (C), Obina (A), Everton (C),
Cartões vermelhos: Gil (C)
Gols: Wellington Paulista, aos 32 min do primeiro tempo
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host