UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
01/08/2010 - 07h03

Demitido após Gre-Nal, Roth pode se 'vingar' e complicar Silas

Daniel Cassol
Em Porto Alegre

No dia 5 de abril de 2009, há pouco menos de um ano, o então técnico do Grêmio, Celso Roth, perdia mais um Gre-Nal. A quarta derrota seguida para o rival fez com que a direção do clube demitisse o treinador, que agora está do outro lado e pode se “vingar”, complicando ainda mais a situação do colega Silas.

Usando um Inter misto e com foco total na semifinal da Libertadores, Celso Roth está longe de sofrer qualquer pressão em caso de derrota no Gre-Nal deste domingo. No ano passado a situação era oposta: à frente do Grêmio, Roth não venceu um clássico sequer, entre os sete que participou na sua última passagem pelo time tricolor. “Fica, Celso Roth”, era o grito irônico da torcida colorada nos clássicos vencidos pelo Inter.

Apesar de ter colocado o Grêmio na Libertadores, Roth foi demitido pelas quatro derrotas consecutivas no clássico. A gota d'água veio no clássico 376: o Grêmio perdeu por 2 a 1 e foi eliminado do Gauchão daquele ano. Gre-Nal arruma a casa, diz um ditado do futebol gaúcho. Mas desarruma também.

NÚMEROS DO GRE-NAL

  • 381

    jogos

     

  • 144

    vitórias do Inter

     

  • 120

    vitórias do Grêmio

     

  • 117

    empates

     

Na dinâmica do futebol, Celso Roth está do lado oposto e pode, em caso de vitória do Inter no Gre-Nal deste domingo, aumentar a pressão para a demissão de Silas no Grêmio.

Depois de um bom primeiro semestre, o Grêmio de Silas ainda não engrenou na volta do recesso. No Campeonato Brasileiro, o time é apenas o 18o colocado, na zona do rebaixamento, com onze pontos. O Grêmio perdeu quatro dos onze jogos e ainda não venceu fora de casa. Mesmo assim, Silas se disse tranquilo para o Gre-Nal de número 382 na história.

"Esperamos vencer, mas o que conta para mim não é o resultado. Estou tranquilo com o trabalho. Vamos conquistar os três pontos que melhorará a situação na tabela”, afirmou o técnico do Grêmio em coletiva nesta sexta.

Do outro lado, Roth reconheceu a pressão sobre seu colega de trabalho e disse esperar um Grêmio obcecado pela vitória no Beira-Rio. “Por este momento de desequilíbrio na competição, o Grêmio vai fazer de tudo pelo resultado positivo”, analisou.

Retrospecto

Em sua trajetória como treinador, Roth já comandou o Inter em cinco clássicos. Foram dois empates, uma derrota e duas vitórias – a mais importante delas aconteceu em 1997, na partida que ficou conhecida como “Gre-Nal do 5 a 2”, placar da vitória colorada.

Treinando o Grêmio, foram 14 grenais de Celso Roth. No total, foram quatro empates, seis derrotas e quatro vitórias. Na última passagem pelo Grêmio, entre 2008 e 2009, Celso Roth não venceu nenhum clássico, o que lhe custou a demissão no dia 6 de abril do ano passado.

 

Silas tem uma trajetória mais curta em clássicos como treinador. O técnico comandou o Grêmio em três partidas em 2009, perdendo duas e vencendo uma, no jogo de ida da final do Gauchão, no estádio Beira-Rio. Mas o Gre-Nal não é ‘novidade’ para Silas. Como jogador, ele participou de quatro partidas pelo Inter em 1992, sempre começando como reserva. Foram três empates e uma vitória.

Em 2010, a disputa está equilibrada. O Internacional venceu o primeiro Gre-Nal do ano, vencendo por 1 a 0 em Erechim, mas depois perdeu em casa na final do Gauchão, por 2 a 0. No jogo da volta, no Olímpico, o Inter ganhou por 1 a 0, mas foi o Grêmio quem comerou o título estadual.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host