UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
01/08/2010 - 07h31

Inter deixa rivalidade de lado e pensa em manter sequência no Brasileirão

Jeremias Wernek
Em Porto Alegre

O clássico Gre-Nal 382 tem um clima diferente do lado do Inter. Por ser em meio a uma decisão maior, de Copa Libertadores, o jogo regional perdeu força. Publicamente o clube pode não admitir, mas deixa de lado a rivalidade e pensa mais em defender a boa fase pós Copa no Brasileirão do que ganhar o terceiro confronto direto com o Grêmio em 2010.

“O momento não é o melhor para o Gre-Nal. Bem no meio da Libertadores. O calendário nos pregou esta peça”, comentou o técnico Celso Roth. “Independente de ser Gre-Nal, ser clássico, é importante estar preparado e dar sequência no Brasileiro. Tivemos quatro vitórias, o time está bem e teve uma reação muito grande”, destacou Fabiano Eller.

É uma espécie de discurso camuflado, sem deixar visível o cuidado paralelo que a Libertadores exige e impõe ao Inter, que venceu o primeiro jogo das semifinais diante do São Paulo por 1 a 0, na última quarta-feira, e joga a segunda partida no Morumbi, na quinta.

Os jogadores que entrarão no time contra o Grêmio falam em respeito, mas citam a chance de ir bem e permanecer na equipe para o confronto com os paulistas. “Não existe motivação maior que o Gre-Nal, na rua só se fala disso”, lembrou Rafael Sóbis, que sairá jogando. Roth reitera a prioridade, mas pondera falando sobre o 100% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro.

“Sempre é importante ganhar, ainda mais o Gre-Nal. Respeitando todos, mas manter, ter a manutenção de vitórias é sempre importante”, disse Celso Roth, depois do treino fechado para imprensa e torcida, na última sexta-feira.

 

O cuidado especial para com a Libertadores levou alguns atletas a praticarem, rapidamente, neste sábado – depois do tradicional rachão, pênaltis. Rafael Sóbis, Andrezinho, Giuliano, Everton e Alecsandro bateram duas vezes cada em gol, se prevenindo de algo possível para quinta-feira, em São Paulo.

“Gre-Nal ajuda e derruba ao mesmo tempo”, ponderou Sóbis, atacante que atuará diante do Grêmio para adquirir maior ritmo de jogo. “Temos que manter o bom momento”. A frase é quase um mantra e não é muito comum às vésperas de um clássico no Rio Grande do Sul. Normalmente as declarações são de empenho total, vontade de superar o tradicional rival, mas nada se referindo ao contexto mais amplo. Sinais de que o Inter joga contra o Grêmio, mas pensa no São Paulo.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host