UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
01/08/2010 - 07h00

Setor direito vira motivo de preocupação no São Paulo para a Libertadores

Renan Prates
Em São Paulo

Contra o Ceará, o São Paulo voltou a vencer após cinco jogos, mas apresentou uma deficiência que preocupa o técnico Ricardo Gomes para o jogo decisivo contra o Inter, na próxima quinta-feira, que vale vaga na final da Libertadores: o setor direito.

Sem um jogador de ofício na lateral-direita, o São Paulo centralizou as ações do ataque no lado esquerdo, o que facilitou o trabalho da defesa do Ceará, como reconheceu o treinador do time tricolor na coletiva após a vitória por 2 a 1.

“Não é segredo para ninguém que a gente está esperando a chegada de um lateral de oficio para acabar esse desequilíbrio. O adversário sabe disso e fecha mais forte”, declarou Gomes.

Como admitiu o próprio treinador, o São Paulo se ressente deste problema desde a saída de Cicinho, que voltou para a Roma, e tem muita dificuldade de achar uma reposição. Ilsinho é a opção mais próxima, mas o time tricolor ainda não conseguiu um acordo para repatriar o jogador.

Na vitória por 2 a 1 deste sábado contra o Ceará, o zagueiro Xandão atuou como um falso lateral, que marcava mas não apoiava o ataque. Como ninguém preencheu o seu papel no setor ofensivo, Ricardo Gomes teve que mexer no intervalo, quando Fernandão entrou no lugar do beque. “Tive que pegar o Fernando e correr o risco de deixar o meio bem despovoado para tentar abrir o time do Ceará”

Para aumentar as opções de ataque para o duelo contra o Inter, Ricardo Gomes cogit entrar com três atacantes no jogo da próxima quinta-feira: Dagoberto, Fernandão e Ricardo Oliveira (destaque da vitória contra o Ceará).

“Existe esta possibilidade. O Internacional é uma história diferente. Precisaremos ter um poder de fogo maior, mas não vou dar o time”.

Contente pela atuação contra o Ceará, Ricardo Oliveira já fala até em estar nos 90 minutos do jogo contra o Inter se for preciso, já que o atleta ainda readquire ritmo por ter ficado um bom tempo parado devido a lesão no joelho.

“A minha vontade de ajudar é tão grande que se tiver de jogar 90 minutos, acho que supera até cansaço. Nesse jogo vamos fazer uma final, queremos a classificação e espero aguentar o maior tempo possível, e que seja benéfico e positivo para o time a minha performance”.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host