UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
ricardo nogueira/Folha Imagem

Felipe voltou a criticar postura do Corinthians e reclama de perseguição de Andrés

04/08/2010 - 12h11

Felipe e Andrés Sanchez lavam roupa suja na TV e não chegam a um acordo

Gustavo Franceschini
Em São Paulo

Felipe convocou uma entrevista coletiva, nesta quarta, e repassou todas as críticas feitas anteriormente ao Corinthians e ao presidente Andrés Sanchez. Momentos depois, o dirigente e o goleiro lavaram a roupa suja em uma entrevista conjunta à Band. Apesar de uma tentativa pública de acordo, ambos discordaram em termos financeiros e prometeram uma nova reunião ainda nesta quarta.

“Falaram que eu abandonei a delegação. Depois de tudo o que foi criado, você acha que eu tenho clima para ficar?”, disse Felipe.

“Mas eu não posso pagar para você sair do clube”, rebateu Andrés Sanchez.

“Não precisa pagar. Eu saio daqui e vou acertar lá no clube”, rebateu Felipe. “Pode vir”, disse o dirigente. “Então estou indo aí”, prometeu o goleiro.

Felipe tem contrato até dezembro de 2011. O Corinthians propõe uma rescisão amigável caso o goleiro devolva R$ 700 mil ao clube, pagos como prêmios em 2009 e 2010. Pela televisão, o ex-camisa 1 não deixou claro o acerto, apesar de mostrar-se propenso a sair do Parque São Jorge. 

"Se você me der as luvas eu te libero agora", ofereceu o cartola. 

AS FRASES DO INCIDENTE

Falaram que eu abandonei a delegação. Depois de tudo o que foi criado, você acha que eu tenho clima para ficar?

Felipe, questionado sobre uma possível permanência no clube.

Mas eu não posso pagar para você sair do clube

rebateu Andrés Sanchez.

Não precisa pagar. Eu saio daqui e vou acertar lá no clube

prometeu Felipe.

Pode vir

disse Andrés.

Então estou indo aí

concluiu Felipe

A relação entre as duas partes nunca foi das melhores. O ápice do desentendimento aconteceu durante a inter-temporada do Corinthians em Águas de Lindoia. Felipe chegou a fechar acordo com o Genoa, da Itália, mas a transferência naufragou por conta da mudança na regra do Campeonato Italiano, que reduziu o número de extra-comunitários permitidos.

Felipe, então, foi afastado do elenco profissional do Corinthians e desde então vive às turras com a diretoria. “O clube disse que não faria barreira para que eu saísse, mas teria que assumir o ônus com a torcida. O Corinthians admitiria que tinha feito o possível e o impossível para eu ficar. Iria embora sem assumir, mas depois que tudo isso estivesse no papel. Na terça à noite, o Corinthians soltou nota dizendo que eu queria ir embora e clube queria que eu ficasse”, disse.

O jogador voltou a acusar Andrés de “prendê-lo” no clube. Segundo Felipe, quando o Genoa fez a proposta para contratá-lo, o presidente do Corinthians demorou a tratar dos processos burocráticos com o Bragantino, dono de 25% dos seus direitos econômicos. Se a demora não tivesse acontecido, de acordo com o goleiro, o clube italiano pelo menos teria pagado uma multa ao desfazer o negócio.

As acusações de Felipe vão mais longe. O ex-camisa 1 do Corinthians diz que Andrés pagou prêmios a todo o elenco, menos a ele, durante o Campeonato Paulista. Além disso, ele diz que o clube não aceitou propostas da Europa depois de seu afastamento. A mais recente delas, do Braga, de Portugal, chegou a agradar os dirigentes alvinegros, que, no entanto, teriam voltado atrás dias depois. 

"Aconteceu de chegar proposta e ser barrada, de um time de fora, depois da história do Genoa. O presidente primeiro disse que estava certo, depois falou que era para eu ir jogar no Nacional, com o Vampeta", disse Felipe, em referência ao clube paulistano que serve como time "B" do Corinthians. Andrés disse que brincou quando falou sobre o Nacional.

Se não poupou críticas a Andrés, Felipe isentou Mano Menezes, ex-treinador da equipe, de qualquer culpa. “Só tenho a agradecer ao professor. Ele foi o único que tentou minha permanência”, comentou.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host