UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
Ricardo Nogueira/FI

Para deixar o Corinthians, goleiro Felipe precisou devolver bonificações

05/08/2010 - 21h11

Felipe chega a um acordo e rescinde contrato com o Corinthians

Bruno Thadeu
Em São Paulo

O goleiro Felipe não é mais atleta do Corinthians. O jogador acertou sua rescisão de contrato com a diretoria nesta quinta-feira. Afastado do elenco após decisão diretiva, Felipe passou a pressionar o presidente, Andrés Sanchez, a assinar o documento que o liberava a procurar outro clube.

ALTOS E BAIXOS DE FELIPE NO CLUBE

  • Divulgação

    Pelo Corinthians, o goleiro fez defesas milagrosas no Brasileiro de 2007, insuficientes para impedir o rebaixamento, mas o bastante para conquistar o torcedor. Ele também já encarnou o papel de vilão, quando peitou a diretoria pedindo aumento e quando falhou na decisão da Copa do Brasil de 2008. Sobraram fatos polêmicos na era Felipe.

Para conseguir se desvincular do Corinthians, Felipe devolveu bonificações dadas pelo clube, no valor de R$ 700 mil.

“O atleta devolveu ao clube os prêmios que havia recebido (R$ 700 mil), abriu mão de seu contrato e está liberado para seguir sua carreira”, informou o site oficial do Corinthians.

Livre, Felipe negocia com o Braga, de Portugal.

A saída de Felipe do Corinthians foi marcada por intensa troca de acusações com o Andrés Sanchez. O ex-camisa 1 do clube alegou assédio moral quando passou a treinar separadamente. O dirigente alvinegro rebateu, dizendo que Felipe não era “moça para ser assediada”.

Na quarta-feira, Felipe e Andrés discutiram em rede nacional, em programas transmitidos pela TV Bandeirantes.

“Falaram que eu abandonei a delegação. Depois de tudo o que foi criado, você acha que eu tenho clima para ficar?”, acusou Felipe, na quarta.

“Mas eu não posso pagar para você sair do clube”, rebateu Andrés Sanchez.

“Não precisa pagar. Eu saio daqui e vou acertar no clube”, rebateu Felipe. “Pode vim”, chamou o dirigente. “Então estou indo aí”, prometeu o goleiro.

No Corinthians, Felipe era visto como o goleiro de “comportamento instável, mas que se garantia em campo”. Ele não tinha inimigos no elenco, mas era considerado uma pessoa difícil.

A relação entre Felipe e Sanchez estava estremecida desde o fim de 2007, quando o goleiro usou oferta do Fluminense para pedir aumento salarial. Durante a Copa do Mundo, a diretoria decidiu afastar Felipe do elenco, alegando que ele não agiu dignamente ao apresentar interesse do Genoa, da Itália.

Felipe destacou que jamais realizou manobra errada na negociação com o Genoa, criticando a atitude do presidente corintiano, que determinou sua exclusão do grupo. O acordo com o time italiano foi cancelado, e desde então Felipe treinou separadamente no Parque São Jorge, supervisionado apenas por um profissional do clube.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host