UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
15/08/2010 - 07h01

Cruzeiro aposta na força defensiva para superar São Paulo no Morumbi

Do UOL Esporte
Em Belo Horizonte

Terceira melhor defesa do Campeonato Brasileiro, com 11 gols sofridos em 13 jogos, o que significa menos de um por partida, o Cruzeiro confia na segurança de seu sistema defensivo para sair com um resultado positivo diante do São Paulo, neste domingo, às 16h, no Morumbi.

O Cruzeiro não foi vazado em seus dois últimos jogos pelo Brasileirão, quando venceu o Atlético-MG, no clássico mineiro, por 1 a 0, e empatou com o Grêmio Prudente, em 0 a 0, na Arena do Jacaré e no Ipatingão, respectivamente.

Nas seis partidas em que atuou sob o comando do técnico Cuca, o time celeste levou apenas três gols, sendo dois no empate com o Grêmio, em 2 a 2, em casa, e o outro na derrota no Maracanã, para o Fluminense, por 1 a 0. Os outros oito gols foram sofridos nas sete rodadas da competição disputadas antes da parada para a Copa do Mundo da África do Sul.

Manter a segurança defensiva, sem comprometer a força ofensiva é o desafio do Cruzeiro, que só marcou 14 vezes, menos que outros 12 concorrentes e o mesmo número de Vitória e Grêmio Prudente.

O ataque do São Paulo, adversário deste domingo, tem aproveitamento ligeiramente superior ao do Cruzeiro, já que marcou 16 gols, dois a mais que o time mineiro. Apesar do tricolor não estar mostrando tanta força ofensiva, os defensores cruzeirenses recomendam atenção em relação aos atacantes do oponente.

“Já joguei com o Ricardo Oliveira e contra o Fernandão. A bola aérea com o Fernandão é muito difícil, porque ele tem estatura e sobe muito bem e o Ricardo é bastante inteligente. Então, tem que estar sempre encurtando os espaços, porque no espaço que dê a ele, se não finalizar bem, ele acha companheiro em boa posição para finalizar”, avaliou Edcarlos, que já jogou no São Paulo e formará a zaga com Gil.

O técnico Cuca reconhece que a opção de entrar com Gil, deixando Cláudio Caçapa no banco, acontece em função também das características dos atacantes do São Paulo. “O Ricardo Oliveira e o Gil são jogadores altos e muito bons na bola aérea, a opção por Gil tem a ver com isso”, disse.

O treinador receita atenção também com a bola parada do adversário. “O São Paulo tem isso forte há alguns anos, bola parada é um dos quesitos mais importantes do futebol, temos que ter cuidado defensivo e a ambição para poder fazer o gol”, destacou. “Tenho convicção grande de que vamos fazer boa partida, precisamos tomar cuidado e ter jogo bem equilibrado em todos os setores do campo”, acrescentou.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host