UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
24/08/2010 - 11h48

Contra o Flamengo, Obina prega respeito, mas quer ajudar Atlético-MG

Bernardo Lacerda
Em Vespasiano (MG)
  • Obina, que defendeu o Flamengo por quatro temporadas, vive expectativa de enfrentar ex-clube

    Obina, que defendeu o Flamengo por quatro temporadas, vive expectativa de enfrentar ex-clube

O atacante Obina vive a expectativa de enfrentar o Flamengo, seu ex-clube, na próxima quinta-feira, às 21h (de Brasília), no Maracanã, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na temporada passada, quando defendia o Palmeiras, ele não pôde atuar por causa de uma cláusula contratual, acordada com o clube carioca.

“É um momento que estava esperando. Ano passado não tive oportunidade, até porque tinha cláusula contratual no Palmeiras. Aqui é diferente, posso atuar. Vou com todo respeito do mundo pela torcida e pela camisa que vesti por tanto tempo, mas claro que com pensamento de vitória”, disse Obina.

Obina defendeu o Flamengo por quatro temporadas, de 2005 a 2009. Depois, transferiu-se por empréstimo para o Palmeiras, onde não pôde enfrentar o ex-clube, pelo Brasileirão do ano passado. Após ser dispensado pelo clube paulista, o atacante acertou com o Atlético.

Como foi comprado pelo Atlético, o atacante poderá enfrentar normalmente o Flamengo. O jogador disse conhecer bem a equipe carioca e por isso passará informações para os atuais companheiros.

“Conheço todo mundo do Flamengo. Não sei quem está jogando de titular, mas sei que o Ronaldo Angelim está jogando, é muito bom jogador, temos de ter cuidado, é bom de cabeça, é um jogador perigoso. O que eu souber da defesa do Flamengo vou passar para a equipe para ajudar”, observou o atacante.

Apesar da ansiedade em poder enfrentar o Flamengo, Obina ainda não sabe se será titular nem se terá condições de participar durante os 90 minutos. O atacante, que se recuperou de cirurgia no tornozelo esquerdo, tem ficado como opção no banco de reservas e aproveitado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo durante os jogos.

“Estou voltando ainda. Tem um bom tempo que venho fazendo coletivo e trabalho físico. Se chegar e dizer que estou pronto para jogar, vou estar mentido. Estou pronto para ajudar, mas dizer que vou aguentar os 90 minutos é difícil. Tendo a oportunidade de jogar e, se tiver me sentindo bem, vou passar para o treinador, e espero que ele me deixe em campo. Para isso, preciso estar bem em campo”, ressaltou Obina.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host