UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
25/08/2010 - 19h26

Presidente desconversa após reunião rápida com grupo do Atlético-MG

Gustavo Andrade
Em Vespasiano (MG)
  • Alexandre Kalil faz mistério sobre teor da conversa com atletas

    Alexandre Kalil faz mistério sobre teor da conversa com atletas

Em entrevista coletiva na Cidade do Galo, o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, afirmou que não é de falar muito com jogadores e foi isso que pôde ser verificado nesta quarta-feira. O mandatário atleticano chegou ao centro de treinamento às 15h15, se reuniu com os atletas, como havia prometido, e eles iniciavam o treinamento 20 minutos depois.

Kalil voltou a dizer que não sabe quais são os problemas pelos quais o Atlético passa no momento e preferiu não comentar sobre a reunião com os jogadores. O presidente atleticano fez menção ao filme “À espera de um milagre” para justificar seu silêncio quanto ao encontro com os atletas. “O que acontece na ilha fica na ilha”, afirmou.

Apesar da reunião com os atletas, Alexandre Kalil acredita que o encontro não terá efeitos imediatos em campo. “Se isso resolvesse, eu iria morar no CT. Se toda vez que eu falasse com jogador, o Atlético ganhasse, eu falaria três dias aqui”, destacou.

O presidente atleticano disse que expôs aos jogadores apenas o “seu sentimento”. “Uma equipe tem de saber como a liderança está se sentindo. Como sou de pouca conversa com jogador, nunca fui boleiro, acho que eu tinha que colocar minha preocupação e colocar meu sentimento. Isso posso falar que coloquei, que é o mais puro sentimento da torcida do Atlético. O que foi falado foi, que agora todo mundo sabe, o sentimento do presidente do Atlético”, observou.

O lateral-direito Rafael Cruz seguiu a linha do mandatário atleticano e não falou a respeito do que foi abordado por Alexandre Kalil na reunião que aconteceu no hotel da Cidade do Galo. “É coisa entre presidente, jogadores e comissão, então a gente prefere ficar entre nós para não acontecer nenhum tipo de problema”, disse.

Com aproveitamento de 28,8% no Campeonato Brasileiro, o Atlético ocupa a 18ª colocação. A equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo foi derrotada em dez das 15 rodadas e é quem mais perdeu entre todos os 20 participantes.

Diante dos maus resultados em campo, Alexandre Kalil afirmou que “se soubesse o que está faltando não estaria faltando há cinco rodadas”. O mandatário atleticano disse ainda que aceita conselhos sobre o momento vivido pelo clube.

"Se alguém puder me falar, vou ouvir. Estou tão aturdido como todos vocês, (imprensa) e nossa torcida. Não há receita para dar certo, mas há um caminho para o imponderável se tornar certo: pagamento em dia, jogador de gabarito. Fico completamente aturdido pelo que está acontecendo”, observou.

“Ser dirigente na hora que está ganhando é muito fácil. Jogar culpa no treinador é mais fácil ainda. Nós temos ideia do que pode estar acontecendo e vamos tentar resolver”, complementou Alexandre Kalil, descartando a possibilidade de demitir o técnico Vanderlei Luxemburgo.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host