UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
05/09/2010 - 22h19

Para Cuca, mudança de atitude evitou que Cruzeiro fosse goleado

Do UOL Esporte
Em Belo Horizonte
  • Cuca diz que alertou atletas no intervalo sobre a necessidade de mudar a postura para virar o jogo

    Cuca diz que alertou atletas no intervalo sobre a necessidade de mudar a postura para virar o jogo

Embora tenha feito substituições que deixaram o Cruzeiro mais ofensivo e o time celeste tenha virado a partida contra o Palmeiras, neste domingo, no Pacaembu, o técnico Cuca atribuiu a vitória por 3 a 2 a uma mudança de atitude dos jogadores. Para o treinador, a equipe seria goleada se mantivesse a postura que adotou no primeiro tempo, em que foi derrotada por 2 a 0.

“Se a gente joga o segundo tempo como jogou o primeiro, com as mudanças que fizemos, era 4, 5 a 0, e eu nem sei como iria explicar para a torcida do Cruzeiro o 5 a 0. Eu ia assumir uma responsabilidade, mas falei para eles: ‘vocês vão tomar quatro ou cinco no segundo tempo se jogarem do mesmo jeito, porque está abrindo tudo que pode. Agora, se mudar a atitude geral do time, vocês vão fazer uma virada heroica e histórica’”, afirmou Cuca.

Segundo o treinador, as alterações na equipe não surtiriam efeito se a equipe mantivesse o mesmo comportamento do primeiro tempo. “As mexidas só são boas quando o jogador entra bem. Se ele entra mal, não tem mexida boa. O mérito é do Farías, do Roger, do Fabinho. Mas, principalmente pela mudança de atitude que o time teve no segundo tempo, que foi geral”, avaliou.

No intervalo, o Cruzeiro perdia por 2 a 0 e Cuca fez duas substituições. O zagueiro Gil deixou a partida para a entrada do meia Roger e o atacante argentino Ernesto Farías fez sua estreia ao substituir Wellington Paulista. No fim, o meia Montillo deu lugar ao volante Fabinho.

Para Cuca, o mérito da vitória de virada deve ser dado aos jogadores. “Não é porque você tirou e colocou dois ou três que o time vai jogar bem. Mudou a atitude. A gente mudou o sistema, ajudamos no que pudemos, mas no geral o mérito é todo dos jogadores”, disse.

O treinador lamentou, entretanto, o pênalti assinalado pelo árbitro Héber Roberto Lopes, de Wellington Paulista em Fabrício, que resultado no primeiro gol do Palmeiras, marcado pelo ex-cruzeirense Kleber. “A penalidade máxima é muito questionável. Segura daqui e de lá, empurra. Rigor, pressão e ali o jogo estava muito equilibrado”, comentou Cuca.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host