Topo

Esporte


Bastidores: Leão é demitido após cortar cabelo e sai do São Paulo "sem deixar saudades"

Leandro Moraes/UOL
Técnico Emerson Leão terminou a sua segunda passagem no comando do São Paulo Imagem: Leandro Moraes/UOL

Renan Prates

Do UOL, em São Paulo

2012-06-26T18:39:19

26/06/2012 18h39

O técnico Emerson Leão saiu do São Paulo de uma maneira que surpreendeu a todos. Apesar de sua saída ser questão de tempo, o treinador era esperado para conceder normalmente uma entrevista coletiva. No meio da primeira pergunta, ele anunciou que não comandaria mais o São Paulo.

O UOL Esporte colheu oito histórias que ajudam a contar os bastidores do dia que marcou a demissão de Leão do São Paulo, que vão desde o anúncio após corte de cabelo ao abatimento de Milton Cruz.

DEMITIDO APÓS CORTE DE CABELO:
O anúncio da demissão no São Paulo foi feito para o técnico Emerson Leão por volta das 11h, e aconteceu de uma forma curiosa, pois o treinador foi chamado para falar com o presidente Juvenal Juvêncio depois de cortar o cabelo com Giba, o profissional que trabalha no CT da Barra Funda.
CONVERSA DE UM MINUTO:
O último contato de Leão com Juvenal Juvêncio foi muito breve. Segundo o treinador, não durou mais de um minuto. “Nem quis sentar, resolvemos tudo de uma forma muito rápida”, justificou o treinador.
SAÍDA SEM DEIXAR SAUDADES:
Leão sai do São Paulo sem deixar saudades para os funcionários do CT. Apesar de ter melhorado em relação à sua primeira passagem em 2005, o treinador era visto como pessoa de difícil trato com os subalternos. “Ele era muito chato. Achava que a gente tinha obrigação de saber onde as pessoas estavam e ficava bravo se a gente não soubesse responder”, contou um dos seguranças.
POUCO CONTATO COM OS ATLETAS:
Leão conversou com os atletas de forma muito breve e ainda sem saber que seria demitido. Depois que foi chamado por Juvenal, falou sobre a saída ainda com o agasalho do clube, onde explicou que não havia conversado com eles.
‘CHUVA’ DE OFERTAS PARA A DIRETORIA:
Nem bem foi oficializada a saída de Leão do São Paulo, o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes, admitiu que já havia recebido ligações de pessoas oferecendo os nomes de Levir Culpi e Jorginho. “Ligam pessoas de todas as formas, dizendo que são parentes, próximas deles ou até torcedores que querem ajudar. Isso é normal”.
JUVENAL, O SUPER SINCERO:
A sinceridade de Juvenal Juvêncio foi alvo de descontentamento de um integrante da cúpula do futebol do São Paulo, que não queria que o presidente tivesse entregado tanto o interesse no técnico português André Villas-Boas quanto no zagueiro Lucio, da Inter de Milão.
CÚPULA EM PESO NA COLETIVA:
A coletiva de Juvenal Juvêncio para falar sobre a saída de Leão do São Paulo contou com a presença de todo o estafe principal do clube: o vice-presidente Carlos Augusto de Barros e Silva (na foto ao lado), o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes, o gerente de futebol José Carlos dos Santos e o diretor financeiro Osvaldo Vieira de Andrade. Só faltou o diretor de futebol Adalberto Baptista, que está viajando na Europa.
MILTON CRUZ ABATIDO:
Escolhido outra vez como interino, Milton Cruz estava abatido e nervoso durante a manhã. Conversou muito com um dos assessores do São Paulo e admitiu chateação quando questionado por um repórter de rádio. Depois do anúncio na queda de Leão, não falou com os jornalistas e apareceu perto do Reffis falando muito ao celular.

TÉCNICO LEÃO ANUNCIA A SAÍDA DO SÃO PAULO

Mais Esporte