Topo

Esporte


Dois torcedores têm alta de hospital após briga; apenas um segue internado

Luiz Gabriel Ribeiro

Do UOL, no Rio de Janeiro

09/12/2013 10h27

Outros dois torcedores tiveram alta na manhã desta segunda-feira após serem internados com traumatismo craniano por causa de uma briga generalizada na Arena Joinville, em Santa Catarina, durante partida entre Atlético-PR e Vasco. O atleticano Estevão Viana, de 24 anos, e o vascaíno Gabriel Ferreira Vitael, de 20, ficaram em observação pela equipe de neurologia Hospital Municipal São José durante a noite e foram liberados por volta das 10h.

O atleticano William Batista, de 19 anos, também passa bem, apesar de ter sofrido um corte no crânio e um trauma mais severo. A família do torcedor preferiu transferi-lo e mantê-lo em observação em um hospital particular da cidade catarinense. Diego Cordeiro da Costa Ferreira, de 29, também foi encaminhado ao Hospital Municipal São José na tarde de domingo, mas pôde ir para casa horas depois.

Além dos quatro feridos, o episódio de violência em Joinville terminou com três detidos para averiguação - que foram para presídio na madrugada desta segunda, de acordo com a Polícia de Santa Catarina. Entre os presos está o vascaíno que aparece nas imagens de TV portando uma barra de ferro com prego na ponta, identificado como Leone Mendes da Silva, de 23 anos. A pancadaria interrompeu a partida entre Atlético-PR e Vasco aos 16min, quando o placar já apontava 1 a 0 para o Furacão. O Vasco perdeu o jogo por 5 a 1 e foi rebaixado para a Série B.

Além de Silva, os outros vascaínos detidos foram Jonathan Santos, de 29 anos, e Arthur Barcelos de Lima Ferreira, de 26. Eles estavam escondidos dentro de um dos ônibus oriundos do Rio de Janeiro e foram detidos pela Polícia Militar. A barra de ferro com prego também foi apreendida. Os três vascaínos foram transferidos para o Presídio Regional de Joinville e responderão por tentativa de homicídio, crime contra o patrimônio público e por ferir o artigo 41B do Estatuto do Torcedor (incitar violência no estádio).

Antes mesmo do final da partida entre Atlético-PR e Vasco, no último domingo, em Joinville, a Polícia de Santa Catarina já trabalhava na investigação da briga generalizada nas arquibancadas do estádio que paralisou o jogo por mais de uma hora. E para dar um passo importante na apuração do caso, os policiais esperam contar com a ajuda dos clubes e de imagens para punir os envolvidos na confusão do duelo pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

Inicialmente, a Polícia pediu imagens de televisão da confusão e de brigas recentes das torcidas de Vasco e Atlético-PR para punir com rigor os reincidentes. O confronto entre vascaínos e corintianos no último mês de agosto, em Brasília, será um dos analisados no caso para uma identificação prévia dos envolvidos nos dois episódios.

Na sequência, os responsáveis pelo inquérito solicitarão a ajuda dos clubes que disputaram a partida em Joinville. A ideia é que Vasco e Atlético-PR possam colaborar na identificação dos membros de organizadas e facilitar o caminho até os “brigões”.

Mais Esporte