Topo

Esporte


Entenda os motivos para Sheik sentir vergonha da CBF. História é antiga

Do UOL, no Rio de Janeiro e em São Paulo

2014-09-18T12:11:10

18/09/2014 12h11

Envolvido em polêmica por suas declarações após ser expulso durante derrota do Botafogo para o Bahia, Emerson Sheik tem um histórico antigo de enfrentamento com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e com o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Nesta quarta-feira, o atacante colecionou novo episódio ao falar que tinha “vergonha” da entidade que comanda o futebol brasileiro.

Ao sair do gramado do Maracanã no segundo tempo, o camisa 7 alvinegro se dirigiu às câmeras para dar o seu recado. Antes, quando recebeu amarelo do árbitro mineiro Igor Junio Benevenuto, Sheik soltou: "esse é pra você CBF".

A má relação é antiga. O atacante se considera perseguido pela CBF, que usa o STJD para o atingir com punições. A escolha de árbitros jovens para comandar jogos do Botafogo também é alvo de insatisfação.

Veja motivos para Emerson Sheik sentir vergonha:

Motivos para Emerson Sheik sentir vergonha da CBF

  • Buda Mendes/Getty Images

    Sequência de punições em 2014

    Desde que chegou ao Botafogo, Emerson Sheik é figura fácil no STJD. Após briga com segurança do Grêmio, pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro, o atacante foi punido com um jogo de suspensão. No duelo contra o Cruzeiro, novo gancho para o jogador. Três jogos por entrada violenta no volante Henrique. Pelo comportamento no jogo com o Bahia, Sheik deve voltar ao tribunal em breve.

  • Buda Mendes/Getty Images

    Recados diretos à CBF

    Nos últimos jogos do Botafogo, Emerson Sheik usou estratégia de recorrer às câmeras para reclamar da CBF. No jogo com o Bahia, o camisa 7 disse ter "vergonha" e, antes, havia dedicado cartão amarelo à entidade. Pela Copa do Brasil, contra o Ceará, ele usou reportagem da ESPN Brasil para dar bronca. "CBF, toma vergonha nessa cara! Vocês precisam de vergonha na cara", disse.

  • Reprodução/Instgram

    Críticas ao "tapetão" de 2013

    Sheik reprovou decisão do STJD que manteve o Fluminense na primeira divisão em 2013. Ele chegou a ironizar em redes sociais a queda do clube após resultados em campo. O tribunal tirou quatro pontos da Portuguesa e manteve o clube carioca na elite do futebol. Mesmo com a resposta da torcida tricolor com ataques pessoais, Sheik manteve provocações e críticas ao "tapetão".

  • Folhapress

    Mais briga com árbitro em 2012

    Sheik foi expulso de campo por xingar de "ladrão e safado" o árbitro Péricles Bassols na partida Corinthians 1 a 0 Atlético-MG, pelo Brasileirão de 2012. Ele pegou seis jogos de gancho e teve de prestar serviço social com crianças. O atacante reconheceu erro por ofender o juiz, mas cobrou CBF e comissão de arbitragem para que uma punição também fosse dada a Bassols.

  • Folhapress

    Ofensas a juiz rendem punição

    O árbitro Evandro Rogério Roman colocou na súmula que foi chamado de "idiota" por Emerson na partida entre Corinthians e Bahia, pelo Campeonato Brasileiro de 2011. Sheik também bateu palma para as decisões do juiz ainda no gramado. Pelo comportamento, foi punido pelo STJD com um jogo de suspensão.

  • Folhapress

    Seleção brasileira vetada

    Naturalizado qatariano, Sheik tentou defender a seleção brasileira em 2012, mas a Fifa impediu. O argumento usado pela entidade máxima do futebol foi de que ele havia modificado sua nacionalidade. Emerson já jogou pelo Brasil nas equipes de base. O atacante se animou com a chegada de Luiz Felipe Scolari ao comando da equipe, mas nunca teve o seu nome sequer citado pelo treinador.

Mais Esporte