Palmeiras empata com Atlético-MG no finzinho e salva tragédia na estreia

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

O Palmeiras ainda não venceu no Allianz Parque pelo Brasileirão. Mas conseguiu neste sábado (9) um empate com sabor de vitória contra o Atlético-MG. No último minuto de jogo o atacante Rafael Marques colocou uma bola nas redes de Victor e conseguiu salvar o time da derrota.

O time comandado por Oswaldo de Oliveira começou perdendo, no início do segundo tempo, empatou no fim do jogo e, quando o empate já parecia definido, Jô marcou para os visitantes. No último minuto, porém, Rafael Marques deixou tudo empatado novamente.

O Palmeiras ainda não venceu pelo Brasileirão no Allianz Parque. Esse foi o terceiro jogo do Palmeiras no estádio pelo Campeonato Nacional - em 2014, um empate e uma derrota na reta final; agora, mais um empate.

A partida ainda foi marcada por episódios incomuns: placas da Allianz foram cobertas por imposição da CBF, e depois retiradas. A indecisão entre ficar ou não com as placas que tapavam o nome do principal patrocinador do estádio durou até depois do apito inicial. O Palmeiras também viu sua principal torcida organizada ficar calada durante todo o jogo. E ainda teve pedido de casamento no estádio.

Fases do jogo

O Palmeiras sentiu falta de uma referência ofensiva desde o início do jogo. Sem Leandro Pereira, Gabriel Jesus jogou como último homem de ataque, mas quase não viu a bola. Mesmo assim, foi o time da casa que conseguiu criar mais jogadas, principalmente em avanços pela esquerda, com Zé Roberto e Dudu.

As primeiras grandes chances do jogo foram do Palmeiras. Primeiro em jogada de Zé Roberto, que sobrou para Lucas, do lado direito, chutar para fora. Depois, o chileno Jorge Valdivia cabeceou depois de escanteio e exigiu grande defesa de Victor.

Valdivia, nos primeiros minutos, deu mostras de que poderia apresentar grande atuação. Dribles que levantaram o estádio e passes encontrando companheiros em situações improváveis. A exibição de destaque, no entanto, não se confirmou.

O Galo começou a encontrar espaços quando Maicosuel, o outro mago, começou a preferir jogadas individuais. Quando desistiu de jogar com os companheiros, o meia levou pânico à defesa palmeirense. O Atlético-MG de Levir Culpi ainda encontrou mais espaços quando atacou pela esquerda, sobre o lateral direito palmeirense Lucas. No fim do primeiro tempo, porém, a pressão foi palmeirense.

Logo no início do segundo tempo o Palmeiras levou o gol. Em contra-ataque, o lateral direito Patric, do Atlético-MG, recebeu de Eduardo e bateu Cruzado. Fernando Prass não conseguiu fazer a defesa. Essa foi a segunda vez que Patric marcou no Allianz Parque - em 2014 ele marcou na vitória do Sport no estádio, também pelo Brasileirão.

Após levar o gol o técnico Oswaldo de Oliveira tirou Valdivia de campo. A mudança foi vaiada em manifestações que pareceram direcionadas ao chileno, pela exibição sem brilho, e não ao treinador, pela alteração. Depois da mudança, Gabriel Jesus quase empatou.

O Palmeiras chegou ao empate com gol de cabeça de Vitor Hugo, após cobrança de escanteio de Zé Roberto. O Atlético-MG fez mais um com Jô, mas tomou o empate no finzinho com Rafael Marques.

O melhor - Eduardo: volante do Galo travou a criação do Palmeiras, dificultou o trabalho de Valdivia e deu assistência para que Patric abrisse o placar do jogo.

O pior - Cárdenas - colombiano do Atlético-MG jogou como meia direita e teve todo o espaço possível para jogar nas costas de Zé Roberto. Não aproveitou e foi sacado por Levir no início do segundo tempo.

Para lembrar

Placas tampando patrocinador. Antes do início do jogo, placas brancas tampavam nome e logo da Allianz, patrocinadora que dá nome ao estádio, dentro do estádio. Quando o presidente Paulo Nobre chegou, afirmou que tratava-se de um acordo com CBF e Globo que não permitia ao clube e à empresa usarem a publicidade dentro do estádio durante o Brasileirão. Minutos depois, no entanto, funcionários do estádio retiraram as placas. Minutos antes da partida começar, funcionários trajados da mesma forma recolocaram as placas sobre nome e logo da Allianz. Depois, os vetos foram novamente retirados.

Mancha quieta. A principal organizada do Palmeiras, Mancha Alviverde, ao lado de outras organizadas, ficaram em silêncio durante toda a partida. Os integrantes das uniformizadas permaneceram também sentados, até o fim da partida.

Casa comigo? Houve um pedido de casamento no intervalo da partida. Um torcedor do Palmeiras foi até o meio de campo, com autorização do clube, e exibiu a faixa "Pri, casa comigo?". Sem que houvesse mais drama, o pedido foi aceito.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 2 ATLÉTICO-MG

Data: 09/05/2015 (SÁBADO)
Horário: 18H30 (de Brasília)
Competição: Campeonato Brasileiro 2015 (1ª rodada)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Público: 28.781 pagantes Renda: 2.004.965,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta
Cartões amarelos: Gabriel e Robinho (Palmeiras); Patric, Josué e Jô (Atlético-MG)
Gols: Patric, aos 5 minutos do 2º tempo; Vitor Hugo, aos 36; Jô, aos 40; Rafael Marques, aos 50

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel (Alan Patrick), Robinho, Valdívia (Egídio); Dudu (Kelvin), Rafael Marques e Gabriel Jesus. Técnico: Oswaldo de Oliveira

ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Edcarlos, Tiago e Pedro Botelho; Josué, Eduardo (Danilo Pires), Cárdenas (Carlos), Giovanni Augusto (Dodô) e Maicosuel; Jô. Técnico: Levir Culpi

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos