Cazares volta em grande estilo e dá vitória ao Atlético-MG sobre o Santos

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Em campo uma formação reserva, já que a preocupação no Atlético-MG é com o São Paulo, pela Copa Libertadores. Mesmo assim a equipe mineira venceu o Santos na abertura do Campeonato Brasileiro, por 1 a 0. Gol único do meia Cazares, aos 14 minutos do primeiro tempo.

Se o Atlético contou com o Cazares inspirado e querendo mostrar serviço para voltar ao time titular, o Santos sofreu bastante com as ausências de dois importantes titulares, o meia Lucas Lima e o atacante Ricardo Oliveira. Principalmente Lucas Lima, já que o Atlético esteve bem postado e o Santos tinha muita dificuldade para criar jogadas e entrar na área adversária.

No fim das contas, um resultado justo. Mesmo atuando sem nenhum titular, o Atlético criou mais chances, enquanto o Santos sofreu bastante com a falta de criatividade de seus meias e com a noite apagada de Gabigol.

Quem desequilibrou: Cazares tomou conta do Atlético-MG

Xodó da torcida atleticana desde que desembarcou em Belo Horizonte, o equatoriano mostrou nos primeiros jogos que a briga do clube mineiro com o Banfield-ARG foi acertada. No entanto, com uma conduta extracampo ruim, Cazares perdeu espaço e sequer ficou no banco de reservas nas duas últimas partidas da Libertadores. A volta como titular contra o Santos só reforça o pedido da torcida, para que o meia jogue contra o São Paulo. Neste sábado Cazares armou as melhores jogadas ofensivas do Atlético e fez o primeiro gol da noite.

Quem foi mal: Paulinho foi figura nula em campo

Sem Lucas Lima e Ricardo Oliveira, Dorival Júnior teve de lançar reservas na estreia do Brasileirão e Paulinho não se saiu bem. O atacante participou muito pouco do jogo e foi facilmente desarmado nas vezes em que recebeu a bola, mesmo jogando contra a defesa reserva do Atlético. Tanto que o atacante ficou em campo somente um tempo. Paulinho ficou no vestiário após o intervalo e deu lugar a Serginho.

'Pilhado', Gabigol passa em branco com atuação discreta

Os desfalques fizeram de Gabriel o grande nome do Santos para o duelo com o Atlético. Com Lucas Lima e Ricardo Oliveira vetados, o camisa 10 ganhou ainda mais responsabilidade em campo. Mas não foi bem. Visivelmente irritado, Gabigol discutiu várias vezes com os jogadores do Atlético e até com os membros do trio de arbitragem, deixando de fazer o principal, que era jogar futebol. De positivo, a busca pelo jogo. Gabriel sempre tentou levar o Santos para frente.

O jogo do Atlético-MG: qualidade no passe e saída em velocidade

Coincidentemente, os volantes Lucas Cândido e Eduardo são jogadores com bom passe, que fazem bem a saída de bola da defesa para o ataque. Isso facilitou demais a vida dos meias alvinegros, especialmente de Cazares, que sempre recebia a bola em boas condições para armar o time. A bola qualidade no passe aliada com a velocidade dos jogadores de frente, fez com que o Atlético criasse inúmeras oportunidades de gol.

Atuação do Santos: muita posse e pouca inspiração

O fato de jogar como visitante não fez o Santos ficar sem a bola. Pelo contrário, foi a equipe de São Paulo que teve muito mais posse de bola. Somente no primeiro tempo foi de 62%, por exemplo. Porém, uma posse pouco útil. Sem inspiração e errando muitos passes no campo de ataque, o Santos teve dificuldade para criar oportunidades contra a equipe reserva do Atlético. Enquanto a defesa sofreu bastante com os jogadores velozes do adversário.

Aguirre testou opções para a Libertadores e gostou do que viu

Sem dois importantes titulares contra o São Paulo – Rafael Carioca e Júnior Urso estão suspensos – e Robinho como dúvida, o técnico do Atlético usou a partida contra o Santos coma uma espécie de teste para observar os reservas que podem jogar nesta quarta-feira. Os volantes Lucas Cândido e Eduardo foram bem, assim como os meias Cazares, Carlos Eduardo e o atacante Clayton.

Dorival Júnior não arrisca e perde chance de pontuar em BH

Um dos jogos mais complicados do Campeonato Brasileiro é contra o Atlético-MG, no Estádio Independência. Ter a chance de jogar contra 11 reservas e num estádio vazio tem de ser aproveitado. Faltou ao técnico Dorival Júnior arriscar um pouco mais, especialmente na etapa final, já que sua equipe teve muito mais posse de bola.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 x 0 SANTOS

Data: 14/05/2016 (sábado)
Horário: 18h30 (de Brasília)
Motivo: 1ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 5.403 pagantes
Renda: R$ 87.565,00
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
Cartões amarelos: Cazares e Carlos Eduardo (CAM) David Braz e Gustavo Henrique (SAN)
Gols: Cazares aos 14 min do primeiro tempo;

ATLÉTICO-MG
Uilson, Gabriel, Edcarlos, Tiago e Carlos César; Lucas Cândido, Eduardo, Carlos Eduardo (Pablo, aos 11 do 2º) e Cazares; Hyuri (Yago, aos 41 do 2º) e Clayton.
Treinador: Diego Aguirre.

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato (Maxi Rolón, aos 32 do 2º), Vitor Bueno e Ronaldo Mendes (Matheus Nolasco, aos 19 do 2º); Paulinho (Serginho, no intervalo) e Gabriel.
Treinador: Dorival Júnior.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos