Time de meninos e correria: Palmeiras mostra nova cara na estreia do BR-16

Diego Salgado e Marcello De Vico

Do UOL, em São Paulo

O Palmeiras passou a viver uma nova era na goleada de 4 a 0 sobre o Atlético-PR no último sábado, na estreia do Brasileirão, no Allianz Parque. A maior parte do time era composta por jogadores com menos de 25 anos.

A marca foi obtida após duas escolhas do técnico Cuca, que escalou Róger Guedes, 19 anos, e Tchê Tchê, 23, como titulares. Completaram a ala de meninos: os zagueiros Vitor Hugo (24) e Thiago Martins (21), além do volante Matheus Sales (21) e do atacante Gabriel Jesus (19) -- todos os gols foram marcados pelos garotos (Róger, Gabriel, com dois, e Thiago).

VEJA TAMBÉM: GABRIEL JESUS E TCHÊ TCHÊ FORAM OS DESTAQUES, OPINAM PVC E ERICH BETING

Com essa formação, Cuca colocou em campo um time leve, com mais velocidade, sobretudo pelos lados do campo ofensivo. Por ali, Róger e Gabriel Jesus criaram as melhores chances do time, abusando da velocidade.

Ernesto Rodrigues/Folhapress
Gabriel Jesus marcou dois gols

No primeiro gol do Palmeiras, a dupla conseguiu, além disso, mostrar outras qualidades. Lançado pelo "vovô" Cleiton Xavier, Gabriel Jesus escapou pela esquerda e cruzou rasteiro para Róger, que deu um tiro de 20 metros para completar a jogada.

Algo semelhante já havia ocorrido contra o São Bernardo, há um mês. Naquela oportunidade, porém, foi Gabriel quem balançou a rede depois de assistência de Róger. Com a mesma idade, os atletas se dão bem também longe dos gramados. E tentam levar isso para os jogos.

"A gente também tem uma parceria fora de campo. Desde que eu cheguei ele me acolheu muito bem aqui. A gente se dá bem porque somos jovens. A molecada sempre vai se dar bem. A gente joga pingue-pongue, fica brincando, essa coisas. E leva essa felicidade para dentro de campo", disse Róger após a partida.

Movimentação intensa: pedido de Cuca

Ao optar por muitos jovens na equipe, o técnico Cuca tem a chance de colocar em prática o seu estilo, marcado por troca de posições constantes e movimentação intensa.

Tchê Tchê, que chegou ao clube na terça-feira e já atuou como titular, é o grande símbolo dessa concepção do treinador. Contra o Atlético-PR, o meia atuou em três posições: meia, volante e lateral direito.

O ex-atleta do Audax também ressaltou o fato de o time ter muitos jovens. "É algo muito bom. Jogador novo gosta daquela correria. Vem dando certo e espero que continue dando na sequência do campeonato", disse.

Segundo Róger, o técnico do Palmeiras pediu rapidez e versatilidade aos jogadores durante a semana. Com a chegada de Tchê Tchê, o time ganhou mais uma opção. 

"Foi o que o Cuca pediu. Trabalhamos pouco tempo com o Tchê Tchê. Estamos trabalhando para mesclar isso", finalizou o atacante.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos