Chapecoense vira sobre o América-MG e se torna vice-líder do Brasileirão

Do UOL, em Belo Horizonte

O título do Leicester, na Inglaterra, faz muito clube de menor expressão sonhar com uma conquista nacional. Entre os brasileiros, a Chapecoense se enquadra no perfil. Pela terceira temporada na elite do futebol nacional, a equipe de Santa Catarina termina a segunda rodada do Campeonato Brasileiro na segunda colocação, atrás apenas do Santa Cruz. Neste domingo a Chapecoense venceu o América-MG por 3 a 1, de virada.

Porém, apesar de jogar em casa, na Arena Condá, o time catarinense não teve vida fácil. Terminou o primeiro tempo em desvantagem e só conseguiu virar a partida depois dos 30 minutos do segundo tempo. É verdade que é muito cedo para apontar alguma coisa, especialmente quando a competição tem um bloco com sete times e todos somam quatro pontos estão separados pelo saldo de gols ou número de gols marcados.

Se a Chapecoense vai poder sonhar por algumas horas e até se orgulhar de terminar a rodada na zona de classificação para a Copa Libertadores, o América-MG está no outro extremo. Retornou à Série A em 2016, o atual campeão mineiro foi derrotado pela segunda vez e encerra a rodada – sem computar o jogo entre Sport x Botafogo – na lanterna do Brasileirão.

Árbitro acerta em lances cruciais, apesar das reclamações

Eduardo Tomaz de Aquino Valadão, de Goiás, foi o juiz de Chapecoense x América-MG e foi muito bem nos lances mais polêmicos do jogo. No primeiro deles, aos 18 minutos, Rafael Bastos foi derrubado dentro da área o árbitro marcou pênalti. Decisão acertada, apesar da reclamação da Chapecoense. Que reclamou também de um lance no final do primeiro tempo, em que Cléber Santana caiu dentro da área. Reclamação em vão, Valadão não marcou nada e acertou de novo. Assim como acertou logo no começo do segundo tempo, quando Sueliton agarrou Marcelo, dentro da área. Pênalti assinalado corretamente.

Quarteto de ex-catarinenses joga bem, mas não salva o América-MG

Dos 11 titulares do América-MG contra a Chapecoense, quatro estavam no futebol de Santa Catarina em 2015. E todos foram bem, enquanto estiveram em campo. O volante Claudinei estava no Avaí e foi peça importante na marcação. Já o meia Rafael Bastos marcou o gol do América, assim como havia feito na própria Chapecoense quando defendia o Figueirense. Já os atacantes Willian Barbio e Tiago Luís eram da Chapecoense na temporada passada e incomodaram bastante os antigos companheiros.

Os três minutos que decidiram o jogo na Arena Condá

Aos 30 minutos do segundo tempo o meia Rafael Bastos teve a bola que poderia ser a da vitória do América-MG. Autor do primeiro gol da tarde, o camisa 16 chutou para fora, praticamente da marca do pênalti. Menos de um minuto depois a Chapecoense virou o jogo, com Silvinho, que pegou rebote da defesa de João Ricardo em chute de Bruno Rangel. E o centroavante que havia perdido o gol que seria o da virada, marcou o terceiro da Chapecoense, o segundo dele, aos 32 minutos.

Gramado pesado dificultou ações da equipe da casa

Muita chuva antes da partida e campo pesado. Assim foi o cenário do primeiro tempo entre Chapecoense e América. Pior para a equipe da casa, que encontrou muita dificuldade para tocar a bola e se aproximar do gol defendido por João Ricardo. Tanto que na primeira etapa, o goleiro do América fez apenas uma defesa, já que depois dos 40 minutos. Na etapa final, sem chuva, a Chapecoense conseguiu criar mais chances e fez por merecer a vitória.

Três zagueiros e nenhum centroavante na estreia como visitante

O primeiro jogo do América fora de Belo Horizonte neste Brasileirão foi com uma formação diferente. A equipe jogou com três zagueiros, assim como já havia feito em algumas ocasiões do Campeonato Mineiro. A novidade foi a ausência de um centroavante. Com Borges machucado e Victor Rangel preservado, Givanildo optou por um ataque mais leve, com Willian Barbio e Tiago Luís. Deu certo, somente na etapa inicial, quando o América foi bem superior ao adversário. Na etapa final, o time mineiro se mostrou sem força para atacar e com uma marcação bem mais frouxa, dando muitos espaços ao adversário.

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 3 X 1 AMÉRICA-MG

Data: 22/05/2016 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Motivo: 2ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Rafael Trombeta (PR)
Cartões amarelos: - (CHA) Sueliton, Danilo, Artur e Alison (AFC)
Gols: Rafael Bastos aos 19 min do primeiro tempo; Bruno Rangel aos 2 min, Silvinho aos 31 min e Bruno Rangel aos 32 min do segundo tempo

CHAPECOENSE
Danilo; Gimenez, Marcelo, Rafael Lima e Dener; Gil, Josimar e Cleber Santana; Ananias (Silvinho, aos 11 do 1º), Lucas Gomes (Hyoran, aos 22 do 2º) e Bruno Rangel (Kempes, aos 42 do 2º).
Treinador: Guto Ferreira.

AMÉRICA-MG
João Ricardo, Hélder, Artur (Sávio, aos 34 do 2º), Alison, Sueliton e Danilo; Leandro Guerreiro, Claudinei, Ernandes, Rafael Bastos e Tiago Luís; Willian Bárbio (Vitinho Safadão, aos 43 do 1º).
Treinador: Givanildo Oliveira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos