Dorival pede cuidado com Gabriel e Lucas Lima e quer reforços no Santos

do UOL, em São Paulo

Sem Gabriel e Lucas Limas por até nove rodadas do Campeonato Brasileiro, caso a seleção brasileira avance até a decisão da Copa América Centenário, que acontece nos Estados Unidos entre os dias 3 e 26 de junho, Dorival Júnior demonstrou certa preocupação com dois dos seus principais jogadores, que devem ser assediados por clubes europeus na próxima janela de transferência, que se inicia em julho, logo após a competição continental.

"A janela estará aberta, e os clubes, não só o Santos, terão que ter cuidado. Na real, neste momento, não existe nada (de possibilidade dos dois jogadores serem negociados), mas o futebol é dinâmico e, às vezes, temos que saber conviver com isso", disse Dorival após a vitória de virada do Santos sobre o Coritiba por 2 a 1.

Já sem os dois jogadores para a sequência do Campeonato Brasileiro, Dorival revelou que, independente da saída ou não de Gabriel e Lucas Lima, o Santos irá atrás de alguns reforços.

"Estamos no mercado e vamos procurar por dois ou três elementos para nos ajudar nesse momento, já que não contamos com os dois, que já estão fora com a seleção", completou o treinador santista.

Atuação desagrada Dorival

Apesar da vitória, Dorival não saiu satisfeito com o desempenho do Santos. Para o comandante alvinegro, a equipe não soube encontrar espaços na defesa adversária e ainda deu oportunidades de o Coritiba contra-atacar. Ele explicou que a equipe concentrou as ações ofensivas pelo meio, que estava congestionado, ao invés de tentar chegar pelas pontas.

"Foi um resultado alcançado, mas ninguém está satisfeito. A Vila é importante a partir do momento em que você jogue bem e pressione. Não foi o que aconteceu. Não adianta ter a Vila e não ter uma equipe taticamente preparada", comentou.

"Hoje fizemos algo que não vinhamos fazendo, que eram ligações diretas e bolas na área aleatórias e desnecessárias para uma equipe de penetração. Talvez tenha sido o maior erro", lamentou.

Dorival Júnior também explicou a decisão de sacar Lucas Lima, um dos jogadores mais badalados do Santos, ainda no intervalo. Ele negou qualquer problema físico do camisa 20 e argumentou que a decisão foi apenas técnica.

"(Ele saiu) Em razão da própria sequência que vinha, trabalhou pouco nesses 20 dias, ele sentiu muito a partida. Não estava com a mobilidade normal, com dificuldades para sair da marcação. Estávamos encontrando dificuldades inclusive no preenchimento do nosso meio, até por ele estar caindo pelos lados. Quando o Lucas perde a possibilidade do giro, que é fatal e lhe dá possibilidade de criar, ele tenta jogar de frente, e aí tem que atuar mais lateralmente. Só que quando o Coritiba retomava a bola, tinha o meio aberto, aí eles prevaleciam com dois ou mais homens no setor. Tentamos corrigir no intervalo", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos