Flu aposta em versatilidade e vê Osvaldo se firmar pela 1ª vez

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

Osvaldo chegou ao Fluminense em 2015 e não conseguiu se firmar. Até agora. Isso porque o atacante virou titular sob o comando do técnico Levir Culpi, que aposta na versatilidade do jogador para mantê-lo na equipe principal. Ele desempenha várias funções em campo e tem importância tática fundamental para o sucesso do Tricolor.

Sem a bola, o atacante fecha a segunda linha de quatro do Fluminense, armado no 4-4-1-1. Pierre e Cícero fazem o meio de campo, enquanto Osvaldo e Gustavo Scarpa se alternam nas extremidades. Com essa variação, o Tricolor confunde a marcação do adversário e tem mais facilidade na criação das jogadas.

Com a bola, Osvaldo ajuda na criação das jogadas, mas chega com facilidade à linha de fundo. Além disso, o atacante tem faro de gol e muitas vezes busca a infiltração na grande área, fazendo que o Fluminense passe a atuar no 4-3-3.

E o esquema tático tem dado ainda mais certo após a entrada de Richarlison. O jovem atacante não tem vocação para armar jogadas, mas flutua atrás de Fred e conta com uma vocação ofensiva para dar mais opções de jogadas aos apoiadores, facilitando, portanto, o trabalho de Osvaldo e Gustavo Scarpa.

"Acho que foi uma atuação até interessante. A postura tática do Santa Cruz é tão boa que eles estão há 16 jogos sem perder. É um time certinho, como a Ferroviária. O sistema defensivo principalmente. Mas nós criamos nossas chances, fizemos dois gols e poderíamos ter feito mais", disse Levir Culpi, satisfeito com a produção da equipe.

Com o resultado, Fluminense e Santa Cruz ficam empatados com 4 pontos, ao lado da Ponte Preta, na liderança do Brasileiro. Os cariocas voltam a campo nesta quarta-feira, quando visitarão o Palmeiras, em São Paulo. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos