Autuori protesta contra poder do 4º árbitro: "não admito que me ameacem"

Do UOL, em São Paulo

  • Gustavo Oliveira/Site Oficial do Atlético-PR

    Paulo Autuori foi expulso durante o empate contra o Atlético-MG

    Paulo Autuori foi expulso durante o empate contra o Atlético-MG

Paulo Autuori não gostou nada da forma como foi expulso no empate por 1 a 1 contra o Atlético-MG, no último domingo, na Arena da Baixada. E deixou isso claro em entrevista que concedeu na manhã desta terça-feira, quando criticou o poder que o quarto árbitro vem tendo nas partidas.

Contra o Atlético-MG, Autuori foi expulso pelo juiz Flávio Rodrigues de Souza depois que o quarto árbitro da partida, Ronan Marques da Rosa, contou-lhe sobre as palavras ditas pelo treinador - que negou qualquer tipo de ofensa.

"Eu não falei nada [para o juiz], e ali foi um momento crítico. Acho que os treinadores têm que se posicionar, está havendo um exagero", declarou o comandante rubro-negro. "Meu problema com o quarto árbitro é que está transcendendo o futebol. Não admito que me ameacem. Faça aquilo que tem que fazer, mas não me ameace", acrescentou.

A suposta reclamação de Autuori foi relatada na súmula por Flávio Rodrigues: "Informo que aos 35min do primeiro tempo o quarto árbitro me informou que o técnico da equipe do Clube Atlético Paranaense, o Sr. Paulo Autuori de Mello, reclamou de forma ostensiva contra a equipe de arbitragem dizendo as seguintes palavras: "vocês são uns m... c..., não marca uma pra mim".

"Dessa forma expulsei o treinador. Informo ainda que este treinador nos esperou na zona mista dizendo as seguintes palavras com o dedo em riste para o quarto árbitro: 'agora a conversa de homem pra homem', sendo contido pelos seguranças e Polícia Militar", completa a súmula.

De acordo com Paulo Autuori, o técnico tem o direito de fazer reclamações, desde que seja com educação. "Existem reclamações no mundo todo, trabalhei em lugares distintos, vivi muitos anos na Europa, e sempre vi reclamações", disse.

E não foi só esta a reclamação de Autuori durante a coletiva. Outro assunto abordado pelo treinador foi o excesso de jogos no começo do campeonato – o Atlético-PR agora tem pela frente uma sequência de quatro partidas em 11 dias.

"Isso tem a ver com a qualidade, o planejamento do futebol brasileiro. As regras mudam e não têm ninguém para colocar as coisas de maneira clara. É assim que o futebol brasileiro anda e é assim que os 7 a 1 acontecem", completou.

Sem Autuori, quem comandará o Atlético-PR do banco de reservas na noite desta quarta-feira, diante do Botafogo, em Juiz de Fora (MG), será o auxiliar-técnico Bruno Pivetti.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos